Apito Final: Paços de Ferreira ameaça abandonar o futebol


Apito Final: Paços de Ferreira ameaça abandonar o futebol
O presidente do Paços de Ferreira diz que é «impossível» que o Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) altere a decisão da Comissão Disciplinar da Liga de despromover o Boavista. O CJ ainda não revelou o veredicto quanto ao recurso dos axadrezados do castigo aplicado no âmbito do "Apito Final", mas especula-se que o clube do Bessa poderá perder 9 pontos em vez de descer de divisão. Se isso acontecer, o Paços de Ferreira afasta-se do futebol durante um ano, assegura o presidente do clube.



Para Fernando Sequeira, líder dos pacenses, se o CJ anular a decisão de despromoção do Boavista «é prova evidente de que não querem clubes cumpridores no futebol português». Em declarações à Agência Lusa, o dirigente atesta que nesse caso o seu emblema vai parar para «pensar se não começamos a fazer a mesma coisa que os outros clubes, ou seja, comprar Cristianos Ronaldos sem ter dinheiro para lhes pagar», aponta.

Se o Boavista for despromovido na "secretaria", o Paços de Ferreira, despromovido em campo, assegura a manutenção e Fernando Sequeira realça que está a preparar a equipa para competir no primeiro escalão. «Faltam menos de oito dias para apresentarmos o plantel e estamos a fazer as coisas para jogar na Liga», atesta, salientando que os pacenses estão «conscientes e convictos» de que vão jogar na Primeira Liga.

Espera-se que o CJ anuncie até ao fim da semana a decisão quanto aos recursos apresentados no âmbito do "Apito Final", mas a reunião final para analisar as argumentações de Boavista, União de Leiria e Pinto da Costa ainda não está agendada.


Notícias: 1ª Liga