Benfica 4-2 Nacional:Nota artística e susto para as águias

Seis golos, quatro para o Benfica e dois para o Nacional. Eis o resultado do jogo na Luz, da Jornada

O Benfica-Nacional deu futebol-espectáculo, com golos e emoção até ao fim e o triunfo dos da casa por 4-2. As águias estiveram a ganhar por 3-0, mas os madeirenses chegaram a assustar os homens de Jorge Jesus. Não conseguiram contudo fazer o 3-3 do empate e foi Jara a saltar do banco para assinar o tento da tranquilidade do Benfica.

Jorge Jesus entende que foi o "excesso de confiança" que quase tramou o Benfica. O treinador da Luz assume que teve "algum receio", depois de o Nacional ter chegado ao 3-2, graças a golos de Luís Alberto (76´) e Mihelic (85´). Anselmo teve nos pés o 3-3 a 10 minutos dos 90, mas Roberto defendeu o remate do avançado português.

Sálvio (SLB) e Mihelic (Nacional)O treinador encarnado considera que o Benfica deu "algum espaço" ao adversário. "O Nacional arriscou tudo, deixou muitos jogadores na frente e confundiu-nos de algum modo", acrescenta, frisando que a equipa da Luz "só corria para a frente, não corria para trás".

De qualquer modo Jesus entende que o seu onze ganhou "justamente contra uma equipa boa, que está a fazer um bom campeonato". Na sua óptica o Benfica fez uma "primeira parte muito boa, muito forte".

A formação da casa saiu para o intervalo a ganhar por 2-0, depois de golos de Nicolas Gaitán, logo aos 8 minutos, e de Sidnei que fez dupla com Luisão no centro da defesa. David Luiz foi o grande ausente numa altura em que se dá como certa a sua transferência para o Chelsea.

Na segunda parte Cardozo ampliou o marcador aos 51 minutos. E foi então a vez do Nacional dar um ar da sua graça, mas não passou disso. A 1 minuto dos 90, Jara, que substituíra Cardozo no onze, pôs um ponto final no marcador.

Para o treinador do Nacional, Pedrag Jokanovic, "era justo se o Nacional saísse com o empate", considerando que a sua equipa "reagiu muito bem" depois dos 3-0.

É a sétima vitória consecutiva do Benfica que continua na perseguição ao FC Porto, com menos 8 pontos, e Jesus sustenta que a sua equipa está finalmente no ponto. "É este Benfica que quero, com criatividade, imaginação e notas artísticas", diz. O técnico aproveita para notar que tem "jogadores de arte" e que "os artistas de vez em quando também borram a pintura", uma forma de justificar algumas falhas.

A marcar negativamente a partida só a confusão no fim do encontro com Jorge Jesus no meio. O treinador do Benfica teve que ser afastado da turbulência por Rui Costa depois de vários empurrões e braços no ar, com jogadores à mistura.

Após o apito final, e perante o silêncio quase generalizado em torno do incidente, o nacionalista Felipe Lopes diz que são "coisas do futebol, um simples empurra-empurra, nada mais do que isso".

Ficha de Jogo

 

Notícias: 1ª Liga