Estoril-Benfica (1-3): e vão nove vitórias seguidas

Encarnados comprovam excelente momento de forma. Jogo com o FC Porto promete.

O Benfica voltou a demonstrar este domingo que atravessa uma excelente fase e venceu facilmente na deslocação ao Estoril, por 3-1. Foi a nona vitória consecutiva para o campeonato dos encarnados e não deixou margem para dúvidas, a uma semana da escaldante receção ao FC Porto para um clássico muito aguardado.

É que, de forma mais evidente do que em edições anteriores da 1.ª Liga, Benfica e FC Porto têm demonstrado uma enorme superioridade a todos os níveis face aos rivais. Com maior ou menor dificuldade, ultrapassam todos os adversários, um atrás do outro, pelo que os jogos entre os dois rivais poderão ser mais decisivos do que o habitual.

Superioridade dos dois rivais - O triunfo do Benfica foi mais um sinal dessa superioridade. Frente ao Estoril, uma das boas equipas do campeonato, os encarnados mostraram confiança e saúde durante os 90 minutos.

A jogarem muito rápido desde o início, os homens de Jorge Jesus conseguiram tornear as dificuldades iniciais causadas pelo adversário. Com Gaitán em grande nível, coisa pouco vista esta época, os lances de perigo começaram a aparecer perto da baliza de Vagner. O Estoril tentava responder em contra-ataque, mas os passes não entravam.

Golo da jornada - O primeiro golo – provavelmente o golo da jornada - chegou de bola parada, aos 38 minutos, com um toque de calcanhar de Gaitán a enganar a defesa contrária. Um lance bonito.

Se o Benfica acabara forte a primeira parte, começou ainda melhor o segundo tempo. Com Lima no lugar de Rodrigo, a equipa ganhou imprevisibilidade e repentismo. Os resultados não demoraram a aparecer. Lima fez o 2-0 aos 59 minutos, com um potente remate a passe de Gaitán, e sete minutos depois Salvio ampliou o resultado, também com um forte pontapé que embateu na trave e caiu dentro da linha de golo.

Aimar de volta - Com o resultado em 3-0, o Benfica acalmou um pouco e o Estoril aproveitou para tentar fazer algo mais. Já com Pablo Aimar em campo, os canarinhos ainda chegaram ao 3-1 – um frango de Artur, que não segurou uma bola fácil e deixou que esta sobrasse para Gonçalo marcar. Logo a seguir, Gerso esteve perto de fazer o 2-3, mas o resultado estava escrito.

Ficha

Acompanhe os artigos do Relvado no Facebook e no Twitter.

Notícias: 1ª Liga