E foi do berço que o Benfica tombou (crónica)

Vitória de Guimarães impôs aos "encarnados" a primeira derrota no campeonato. Toscano aproveitou uma

Demorou 19 jogos. O Benfica sofreu esta noite a primeira derrota na I Liga, ao perder frente ao Vitória de Guimarães por 1-0, graças a um golo de Toscano.

A partida começou numa toada interessante e aberta. Os minhotos não se limitavam a defender, tentavam criar perigo junto da área contrária e, numa dessas tentativas, cedo ficou por mostrar um cartão amarelo a Emerson, por falta do brasileiro sobre Paulo Sérgio. O livre não resultou.

O conjunto da casa começou ligeiramente melhor, o jogo começou de uma forma positiva, mas o bom ritmo aparentemente não foi acompanhado por Artur. Ao quarto de hora, terceiro erro do guarda-redes na reposição de bola, Barrientos marcou mas estava em posição irregular. Infração bem assinalada.

Depois foi a vez do Benfica começar a subir de rendimento. Nolito apareceu sozinho num canto, mas rematou fraco contra um adversário e, na recarga, enviou a bola para as bancadas.

Logo a seguir a melhor jogada ofensiva da primeira parte. E porque um lançamento lateral rapidamente executado pode marcar o início de um lance perigoso, Maxi apressou um lançamento, Rodrigo passou de primeira para Gaitán e o argentino rematou um pouco ao lado, quando Cardozo e Nolito apareciam no meio da área.

Numa altura em que, comparativamente ao início da partida, estava mais longe da baliza de Artur, o Vitória chegou ao golo. A partir de uma falta inexistente, João Alves marcou um livre do lado direito, ao segundo poste Leonel Olímpico cabeceou e assistiu Toscano, que inaugurou o marcador aos 37 minutos.

A primeira parte chegava ao final com uma percentagem algo elevada de passes errados por parte dos encarnados, tendo em conta o desempenho habitual dos atletas da Luz. Os minhotos tiveram mérito nessa inconsistência, foram aproveitando e, com uma solidez ligeiramente superior, chegaram ao intervalo na frente.

Foram tentando, mas sem resultados

Sem alterações ao intervalo, a primeira equipa a estar perto do golo na segunda parte foi novamente o V. Guimarães. Contra ataque de dois para um, Paulo Sérgio assiste Toscano e o brasileiro atirou ao lado. Na outra área, Nolito apareceu diante Nilson e rematou praticamente contra o guarda-redes, que fez bem a cobertura.

Jorge Jesus não esperou muito para realizar uma substituição: depois de muita conversa com Witsel, o belga entrou aos 13 minutos deste segundo tempo, para o lugar de Matic. Mas as outras duas alterações (entraram Bruno César e Nelson Oliveira) só foram feitas nos últimos cinco minutos.

Pelo meio, Aimar arriscou: o argentino protagonizou uma entrada com os dois pés, mas acertou só na bola, viu o cartão amarelo.

Enquanto o Benfica tentava dominar e atacar mais - nem sempre melhor - Bruno Teles poderia ter marcado num livre direto, mas Artur respondeu à altura. No outro extremo do campo, após marcação de um canto, Cardozo apareceu dentro da pequena área e, num pontapé acrobático, rematou por cima.

O resultado manteve-se até final. Justificava-se mais o empate, mas foi dado um prémio para uma equipa de Guimarães que demonstrou uma garra e uma velocidade pouco vistas no conjunto de Rui Vitória em jogos anteriores. 

O Benfica foi pouco "artístico" e ainda menos eficaz. Sofreu a segunda derrota em menos de uma semana - apenas a terceira em toda a época. E, após 37 jogos, não marcou qualquer golo.

Notícias: 1ª Liga