Benfica goleia em Paços com bis de Nuno Gomes

Aos 25 minutos, o Benfica já vencia por três golos e acabou por ganhar tranquilamente por 5-1. Gaitá

Numa espécie de antevisão da final da Taça da Liga, o Benfica iniciou o jogo sem qualquer português em campo. César Peixoto, Carlos Martins e Nuno Gomes estavam no banco, onde não se sentaram nem Fábio Coentrão nem Salvio, poupados para o jogo contra o FC Porto.

A primeira meia hora foi de "loucos". Logo ao quarto minuto, grande penalidade para o Benfica quando Cohene atingiu a cabeça de Javi Garcia com um soco. Ao ver e assinalar o lance, Artur Soares Dias poderia ter mostrado o cartão vermelho ao jogador do Paços. Cardozo não desperdiçou e inaugurou o marcador.

Ainda antes do quarto de hora, novo golo lisboeta, quando uma jogada argentina, com Jara a solicitar Saviola, terminou com um golo de Aimar.

Apesar da vantagem de dois golos, o Benfica continuava muito perigoso no ataque, com grande volume ofensivo, e Gaitán começava a evidenciar-se no clube da Luz.

O mesmo Gaitán marcaria aos 25 minutos um dos melhores golos da época. Após jogada entre Maxi Pereira e Cardozo, o avançado paraguaio deixou a bola para o argentino rematar em jeito ao canto da baliza de Cássio.

O Paços não queria ver o jogo resolvido ainda antes da primeira meia hora e, três minutos depois um auto-golo de Carole, de cabeça, reduzia a desvantagem nortenha para 1-3.

A desvantagem podia ter sido ainda mais reduzida logo depois, quando um livre de Ozeia enviou a bola ao poste, depois de uma boa defesa de Roberto.

O Paços viu o resto da partida condicionada quando Cohene, que tinha sido "poupado" na jogada da grande penalidade, cometeu falta sobre Saviola e viu o segundo amarelo, seguindo para os balneários quatro minutos antes do intervalo.

Segunda parte tranquila... e com Nuno Gomes, a dobrar

Depois do descanso, o Benfica entrou claramente para gerir o jogo, com muita posse de bola, fazendo correr o adversário.

Mesmo assim, e com um jogador a menos, o Paços ainda tentou algumas vezes reduzir a diferença no marcador, mas Roberto esteve sempre à altura, com boas intervenções.

Na outra baliza, também Cássio apresentou-se e bom nível ao defender remates perigosos de Aimar e Gaitán, que continuava a ser dos elementos mais perigosos entre os encarnados.

A cerca de um quarto de hora do final, saiu Saviola e entrou Nuno Gomes que, para não variar, marcou pouco depois. Desta vez a dobrar.

Uma ligeira atrapalhação de César Peixoto do lado esquerdo, que ainda tentou o golo, mas Cássio defendeu e a bola sobrou para o número 21 que, à segunda oportunidade, fez o 1-4.

Já no período de compensação, Nuno Gomes voltou a marcar, fazendo o seu primeiro "bis" esta temporada, aproveitando um ressalto já dentro da grande área contrária. Estava estabelecido o 5-1 final.

O Benfica contabiliza agora 55 pontos, continua a 13 do líder do FC Porto - adversário na próxima jornada - enquanto o Paços de Ferreira desceu para o sexto lugar, com os mesmos 33 pontos do Vitória de Guimarães.

De registar que na Mata Real estiveram observadores de vários clubes estrangeiros: o treinador do PSV, próximo adversário do Benfica na Liga Europa, Barcelona, Everton, Copenhaga, Celta de Vigo, Chievo Verona e Deportivo.

Ficha do jogo:

Notícias: 1ª Liga