Guerra civil no futebol português?

Sem querer recuar a factos de outras épocas, é fácil de perceber que o clima vivido na Luz em Dezembro foi um dos rastilhos para o que mais tarde veio acontecer. No entanto, e muito antes da violência em torno do Porto-Benfica da penúltima jornada da Liga, o autocarro do FC Porto e o carro particular do presidente Pinto da Costa foram apedrejados à chegada ao Estoril onde iriam realizar um jogo da Taça da Liga. Nessa altura nada faria prever um ataque desses à comitiva portista, mas a verdade é que aconteceu.Mais tarde, e como bem nos lembramos, nas vésperas do FC Porto-Benfica, a Casa do Benfica de Ermesinde foi atacada e vandalizada. Coincidentemente ou talvez não, poucos dias depois foi a vez da Casa do FC Porto da Quarteira ter sido apedrejada e nos dias que se seguiram os adeptos do Braga atacaram, vandalizaram e queimaram a bandeira benfiquista da Casa do Benfica da cidade. O mesmo aconteceu em Évora e em Gaia! Relativamente ao jogo propriamente dito ficou marcado inicialmente pelo apedrejamento ao autocarro benfiquista, à chegada à cidade Invicta, e pelo clima vivido no estádio, o verdadeiro Inferno do Dragão! Bolas de golfe, isqueiros e outros objectos lançados, petardos rebentados, empurrões e insultos de parte a parte.Mais tarde e em virtude destes factos, em pleno horário nobre no canal Benfica TV, incentivou-se de forma descarada à violência e à vingança perante os adeptos portistas! Disse o jurista e adepto benfiquista António Pragal Colaço, em declarações à Benfica TV: «se as autoridades deste país não têm capacidade para domar a fera, não é, tem de se arranjar outros meios». «Vamos ter de puxar das armas! Este é o momento certo para nós nos unirmos e para nós [benfiquistas], como povo, pegarmos nas armas»Agora que o campeonato terminou e que poder-se-ia pensar que o sossego estaria a chegar, eis que o FC Porto, a poucos dias de visitar o Jamor para a final da Taça de Portugal, é alvo de ameaças constantes, sendo que também terá acompanhamento policial especial do Porto a Lisboa (Oeiras).Que pensam os relvas deste clima de guerrilha que parece não ter terminado? Será que vai ter consequências na próxima época? Ou teremos apenas o início de uma "guerra civil" no futebol português?Zefil

Notícias: 1ª Liga