Jornada 7 abre com triunfo do Vitória de Setúbal

Equipa sadina venceu o Estoril por uma bola a zero.

Num jogo que se esperava intenso e bem disputado, o Vitória de Setúbal venceu o Estoril por uma bola a zero. O jogo nem sempre teve grande qualidade, com as equipas a anularem-se muito no meio-campo.

Jogo muito disputado na primeira parte, com os primeiros 15 minutos a serem muito divididos, mas sem criar muito perigo. A primeira oportunidade surgiu ao minuto 28, num remate desviado de Arnold que causou algum perigo à baliza de Kieszek. 3 minutos depois, Afonso Taira tinha tudo para fazer o golo, mas preferiu assistir o seu colega e a bola acabou cortada pelo central do Vitória.

Ao minuto 33, penalty por assinalar a favor dos sadinos, penalizando falta de Mano sobre Arnold, mas Capela deixou jogar, e quatro minutos depois, após erro de Rúben Semedo, o arbitro não viu a falta cometida pelo central do Vitória sobre Léo Bonatini, perdoando assim uma expulsão à equipa de Quim Machado. Já nos descontos, após um bom movimento e cruzamento de Nuno Pinto, Suk enviou uma bola ao poste, sendo esta a oportunidade mais perigosa da primeira parte.

Na segunda parte, o Vitória entrou mais forte, e ao minuto 51, após remate de Suk, erro de Kieszek que André Claro aproveitou para fazer o primeiro e único golo da partida. A partir desse momento, o jogo ficou mais intenso, mais disputado e com menos oportunidades de jogo, recuando a equipa de Setúbal à medida que o tempo passava.

Mesmo assim, a que equipa de Fabiano ainda teve duas oportunidades para fazer o golo, mas Bruno César e Bonatini não conseguiram marcar o golo do empate, ditando o resultado final em 1-0 favorável ao Vitória de Setúbal.

11 do Vitória: Ricardo Nunes, Willian Alves, Frederico Venancio, Ruben Semedo, Nuno Pinto, Dani, Costinha, Ruca (Fábio Pacheco), Arnold (André Horta), Claro (Paulo Tavares) e Suk.

11 do Estoril: Kieszek, Anderson Luis, Diego Carlos, Yohan Tavares, Mano (Dieguinho), Anderson Esiti (Bilal), Babanco, Afonso Taira, Chaparro (Luiz Phellype, Bruno César e Léo Bonatini.

Notícias: 1ª Liga