O Mito das Multidões

Ora aqui ficam os números concretos e verificados, média das últimas 3 épocas (07/08, 08/09 e 09/10). É uma amostra representativa (96 jogos e em épocas em que FCP e SLB alternaram andar na "mó de cima"), quanto muito algo lisongeira para o SLB (já que enquanto 09/10 foi o fim de uma "travessia do deserto" de 5 anos para os vermelhos, as duas épocas anteriores vieram para os adeptos do FCP no seguimento de 2 épocas de "barriga cheia").

Média de assistências no campeonato: 11,500
Média de assistências nas recepções ao SLB: 15,700
Média de assistências nas recepções ao FCP: 13,000

Conclusão #1: a assistência média quando a equipa da casa recebe o SLB é apenas superior em 2,700 pessoas quando comparado com as recepções ao FCP. É a estas 2,700 pessoas que os vermelhos se referem quando se vangloriam de ser "o clube que de looooooooonge mais arrasta multidões aos estádios"?

Conclusão #2: os jogos contra o SLB levam a um acréscimo de 4,200 pessoas no estádio, em média, das quais certamente muitas são adeptas/sócias da casa (dos quais alguns com uma certa simpatia pelo SLB, é certo) que têm mais motivação para ir ao estádio nos jogos grandes. Penso que é muito razoável presumir que metade desse acréscimo corresponde a esses adeptos primariamente do clube da casa, o que significa que o boicote reclamado histericamente por Luís Filipe Vieira terá no caso de 100% de sucesso (o que nunca sucederá) um impacto de... umas 2 mil pessoas a menos nos jogos. "Multidões"? O que por sua vez corresponderia (presumindo bilhetes com um preço médio de 25€) a uns 50,000€ a menos de receita para esses clubes.

Bem, tendo em conta que o orçamento típico dos clubes da 1a divisão (já excluindo os grandes!) é da ordem de 2 a 5 milhões anuais, é a isto que se referem como "uma catástrofe para os clubes pequenos"?

Notícias: 1ª Liga