Porto arrisca derrota ou interdição do Estádio


Porto arrisca derrota ou interdição do Estádio
Os incidentes verificados no âmbito do Benfica-Porto (1-1) de domingo continuam a dar que falar. E enquanto a PSP já estuda vias para que os distúrbios não se repitam no dérbi de 29 de Abril entre os dois "grandes" da capital, aguarda-se com expectativa o procedimento disciplinar da Liga de Futebol Profissional (LPFP). A estrutura deve abrir um inquérito para averiguar os factos que deverão ser descritos nos relatórios do árbitro e das autoridades policiais. E serão estes relatos que condicionarão a actuação da CD, sendo que há possibilidades de o Porto ser sancionado com pena de derrota, interdição do estádio ou a realização de jogos à porta fechada.

Tudo depende da interpretação da Comissão Disciplinar

O clássico ficou marcado por distúrbios dentro e fora do Estádio, ora perpetrados por benfiquistas, ora por portistas, mas os incidentes verificados durante o jogo perfilam-se como os mais graves, nomeadamente devido ao arremesso de petardos que causaram apenas três feridos ligeiros, mas que poderiam ter tido consequências mais danosas. Os petardos "choveram" da zona onde se encontrava a claque portista, localizada de um modo imprudente no terceiro anel do Estádio da Luz. Cerca de sete objectos explosivos foram caindo sobre as cabeças dos adeptos do Benfica e a PSP esclarece que ao longo do jogo cerca de 50 adeptos portistas foram retirados das bancadas para serem revistados, sendo que a maioria não terá regressado às bancadas para assistir ao resto do encontro. As forças da autoridade identificaram vários elementos, tendo um dos adeptos sido levado a Tribunal nesta segunda-feira de manhã depois de ter sido detido por injúrias a um agente da autoridade. Outros dois adeptos portistas foram acusados de possuírem bilhetes falsos e de agressão a um segurança do estádio, enquanto 5 elementos foram identificados pelo arremesso de objectos.
E se o lançamento puro e simples de objectos, tal como os ferimentos causados a outros espectadores do jogo, valerão apenas multas ao Porto, cujos adeptos surgem implicados no processo, o artigo 138 do Regulamento Disciplinar prevê penas de derrota, interdição de Estádio por 2/4 jogos ou realização de um máximo de 2 encontros à porta fechada para os emblemas cujos adeptos agridam «fisicamente elementos da equipa de arbitragem, agentes de autoridade em serviço, delegados e observadores da Liga, dirigentes, jogadores e treinadores e demais agentes desportivos». Falta saber como analisará a Comissão Disciplinar da LPFP os factos que constarem dos relatórios policial e do árbitro do encontro. Certo é que a estrutura deverá abrir um inquérito disciplinar e se assim for poderá promover desde logo a interdição do Estádio do Dragão por um a 2 jogos a título preventivo enquanto decorrerem as investigações. Neste caso será a Liga a indicar um recinto alternativo para a realização dos encontros.

Benfica também deve ser sancionado

Mas o Benfica deverá também ser alvo de sanções, até porque a PSP já veio condenar a direcção da Luz por ter colocado os adeptos do Porto no terceiro anel do seu Estádio. O Regulamento de Competições preconiza que é ao clube visitado quem assiste zelar pela segurança do jogo, nomeadamente por via da adopção de medidas preventivas de violência. No artigo 54º o mesmo Regulamento preconiza especificamente que o emblema que acolhe o encontro deve introduzir mecanismos de controle dos adeptos de modo a «impedir a introdução de objectos proibidos ou susceptíveis de possibilitar actos de violência». Neste mesmo artigo também se nota que os clubes devem «tomar medidas contra os seus associados envolvidos em desordem, expulsando os que comprovadamente pratiquem ou incitem à prática de violência nos recintos desportivos». Uma medida que seria recomendável, mas que os emblemas lusos não têm tido a coragem de assumir, ao contrário do que aconteceu recentemente em Inglaterra, onde o Chelsea baniu 4 adeptos por estes terem atirado aipo para o recinto de jogo durante a partida da Taça de Inglaterra com o Tottenham.
Por cá Benfica e Porto ainda não se pronunciaram sobre os incidentes. O Conselho Nacional para a Violência no Desporto é que já anunciou que vai averiguar os distúrbios na reunião do próximo dia 13 de Abril.

Foto: Agência Lusa

Notícias: 1ª Liga