Rodrigo conduz Benfica a triunfo apertado

Primeiros minutos indicavam goleada, mas já nos descontos Luisão impediu o empate. Vitória justa por

O Benfica derrotou o Olhanense por 2-1, esta noite, num jogo marcado pelo bis madrugador de Rodrigo e por um sofrimento desnecessário na reta final do encontro.

Jorge Jesus apostou em Rodrigo para fazer companhia a Cardozo e o espanhol dificilmente poderia responder melhor e de uma forma tão rápida. Estavam decorridos apenas 25 segundos no Estádio da Luz, quando Rodrigo arrancou pela direita e, mesmo com ângulo apertado, inaugurou o marcador. Era o golo mais rápido da I Liga até ao momento, nem deu tempo aos jornalistas para assinalar o início da partida.

Ficha do jogo:

Os encarnados comandavam o jogo e aos 12 minutos surgiu o segundo tento. Novamente por Rodrigo e novamente numa jogada pelo lado direito. Maxi cruzou, a bola acabou por sobrar para o jovem espanhol, que ao segundo poste, de cabeça, aumentou a vantagem caseira.

Pouco depois o Benfica começou a acalmar. O ritmo deixou de ser tão intenso, o número de jogadas na área contrária diminuiu e o Olhanense conseguiu aí fazer o primeiro remate à baliza de Artur. Foi Wilson Eduardo, apenas aos 26 minutos, numa tentativa fraca.

A intensidade e entrega no jogo eram poucas e às vezes parecia que os 35 mil espetadores presentes na Luz estavam a assistir a um jogo treino. Prova disso é que, ao intervalo, tinham sido assinaladas apenas cinco faltas (e apenas uma cometida pelo Benfica).

Segunda parte assustou

O pouco inspirado Aimar saiu ao intervalo, para dar lugar a Witsel, mas sem o argentino em campo a falta de inspiração pareceu ter alastrado para toda a equipa encarnada.

Os algarvios não desperdiçaram e logo aos 47 minutos reduziu a diferença no marcador. João Gonçalves cruzou, sem ser muito estorvado, e ao segundo poste Wilson Eduardo só teve de encostar para o 2-1.

A turma lisboeta já não conseguia chegar à baliza contrária com a facilidade que se tinha visto nos primeiros minutos, mas do outro lado o Olhanense também não mostrou capacidade para incomodar.

Apesar do jogo mais frouxo, Matic enviou a bola à barra, de cabeça, aos 64 minutos, pouco tempo antes de um golo mal anulado a Cardozo, por alegado fora de jogo, que não existiu.

A partida ia arrastando até final, sem grandes motivos de interesse, mas já no período de descontos muitos adeptos lisboetas devem ter "gelado" quando Djalmir esteve muito perto do golo, dentro da grande área, mas Luisão travou o remate e evitou o empate.

Mais uma vez o Benfica começou e terminou um encontro sem jogadores portugueses, mas mais uma vez venceu (à tangente) e continua na liderança repartida com o FC Porto. São agora 23 pontos para cada um dos rivais.

Notícias: 1ª Liga