Sp. Braga-Sporting: O terceiro lugar ganha-se com papas de sarrabulho!

Minhotos atiram os "putos" da "papa Cerelac" de Domingos para o 4º lugar com vitória por 2-1. Leões

O Sporting foi a Braga perder por 2-1 no jogo de encerramento da última jornada da primeira volta. Este resultado deixa os arsenalistas isolados no terceiro lugar do campeonato, enquanto os leões caem para o quarto lugar, ficando a 11 pontos de distância do líder Benfica.

O Sporting de Braga entrou melhor no jogo e logo aos dois minutos quase inaugurava o marcador. Lima fez de central e salvou a baliza dos leões, depois de um remate de primeira de Hugo Viana. Impulsionados pela inspiração de Alan, os arsenalistas desequilibravam o jogo a seu favor e, aos 14 minutos, Mossoró, após uma abertura de Hugo Viana, rematava cruzado para uma grande defesa de Rui Patrício.

No banco Domingos Paciência apoquentava-se e mandava aquecer Carriço e Pereirinha. Não que a circunstância tenha nada a ver, mas o que é certo é que os leões foram ganhando peso no encontro e aos 19 minutos era a vez de Quim aquecer as luvas. O guardião bracarense assinava defesa apertada, apesar do estorvo de Evaldo, após livre marcado por Matías Fernández.

Dois minutos depois era Insúa quem incomodava Quim, com um cabeceamento de cima para baixo, a que o guarda-redes arsenalista respondia à altura. A seguir era Leandro Salino a salvar as redes minhotas, afastando Matías Fernandez do objetivo do golo, na sequência de uma perda de bola de Hélder Barbosa.


Mas a equipa de Leonardo Jardim não adormecera e Hugo Viana despertava as bancadas arsenalistas com uma bomba, aos 30 minutos de jogo, na cobrança de um livre, que não saiu muito longe das redes de Rui Patrício. "Aqui comemos papas de sarrabulho", lia-se num cartaz exibido entre os adeptos minhotos, como mensagem aos "putos" que Domingos diz estarem na fase da "papa Cerelac".

Matías Fernandez também teria direito a um grande pontapé que acariciou a trave, bem perto do apito para o intervalo. E o descanso não chegaria sem que um caso de arbitragem arrancasse assobios das bancadas, em virtude de uma disputa de bola entre Ribas e Douglão. Os sportinguistas ficaram a reclamar penalti.

No arranque do segundo tempo, o Sporting começou mais empenhado e aos 48 minutos, Matías Fernandez, após um grande passe de João Pereira, levava a melhor sobre Quim, mas atirava ao poste. Uma grande jogada do chileno que não teve a melhor sorte.

Todavia seria o Sp. Braga a marcar com Hélder Barbosa a aproveitar uma falha da defesa do Sporting, aos 52 minutos. Lima cruzou rasteiro, depois de ter ganho na linha de fundo, e Hélder Barbosa teve tempo para tudo perante João Pereira e Onyew que ficaram a ver jogar.

 


Logo de seguida, Alan ameaçava de novo a baliza leonina, rematando ao lado, num contra-ataque feroz.

As coisas não corriam bem aos leões e Domingos mexia na equipa, apostando em Carrillo para o lugar de Insúa. O peruano trouxe novo fulgor ao corredor direito dos leões com a sua mestria técnica a impor algum equilíbrio no encontro.

Contudo eram os arsenalistas quem continuava mais perigosos e Hugo Viana quase fez o 2-0, com um remate muito forte, na zona central do terreno, que Rui Patrício defendeu para canto. Aos 64 minutos, Lima ampliava mesmo a vantagem para os da casa, aproveitando uma aselhice de Alberto Rodríguez. "El Mudo", que foi muito assobiado pelos adeptos da sua anterior equipa ao longo de todo o jogo, perdeu a bola para Custódio que lançou Mossoró e este viu na velocidade de Lima o homem certo para a ocasião. E assim foi, com o avançado brasileiro a levar a melhor sobre João Pereira.

Domingos fazia contas no banco e metia em campo Bojinov, tirando de jogo um Ribas que não esteve à altura da responsabilidade de substituir o lesionado Wolfswinkel, na sua estreia com a camisola do Sporting.

Mas o golo dos leões sairia dos pés de Carrillo que soube aproveitar perfeitamente o falhanço de Quim. O guarda-redes não conseguiu afastar a bola, no seguimento de um canto, atirando-a com o punho para o pior local.


Os de Alvalade assumiam preponderância no jogo e Matías Fernández testava a atenção de Quim, com um remate rasteiro e fraco, depois de receber de bandeja a bola de Carrillo. Mas a equipa de Domingos não conseguia dar a volta ao marcador e sofria. Mesmo em cima do minuto 90, Rui Patrício agarrava a bola com a mão, após um atraso de Evaldo. A distração amadora originava um livre indireto muito perigoso para as redes leoninas.

Antes do apito final soar da boca do árbitro João Capela, Hugo Viana teve nos pés o terceiro tento dos arsenalistas. Valeram Rui Patrício e João Pereira, com o primeiro a desviar a bola e o segundo a afastar de vez junto ao poste.

Para a história do jogo fica um Sporting, que à luz da imagem de juventude que Domingos tão bem traçou, não resistiu a um grupo minhoto mais sólido e maduro. O futebol é para homens de barba rija!

Notícias: 1ª Liga