Túnel da Luz: Jogadores portistas "socaram e pontapearam" stewards

Acusação do MP contra Hulk, Sapunaru, Fucile, Helton e Rodríguez também inclui baixa de 9 dias do se

O Ministério Público pede penas de prisão para os jogadores do FC Porto Hulk, Sapunaru, Fucile, Helton e Cristian Rodríguez por crimes de ofensa à integridade física, no seguimento dos incidentes no túnel da Luz, em dezembro de 2009. De acordo com a acusação a que o Correio da Manhã teve acesso, os atletas "socaram e pontapearam" os stewards Sandro Correia e Ricardo Silva "de forma deliberada, livre e conscientemente" e com o claro intuito de os "molestar fisicamente".

Considera-se provado, à luz do MP, que "Sapunaru desferiu um soco que atingiu Sandro Correia na testa, seguido de um pontapé no abdómen", cita o referido jornal, realçando ainda que "Hulk também lhe acertou com um pontapé no abdómen e Hélton imitou o colega, mas acertou na virilha direita do ofendido". O MP alega ainda que "Ricardo Silva levou socos e pontapés de Fucile, Sapunaru e Cristian Rodriguez".

O MP recorre também ao estado em que ficaram os seguranças para comprovar a acusação com o Correio da Manhã a salientar que "Ricardo Silva ficou com fortes dores lombares e diversos hematomas na perna esquerda e escoriações no pescoço", enquanto que Sandro Correia sofreu "um traumatismo na face e membro inferior direito e ferida frontal irregular", ficando 9 dias de baixa.


Segundo a acusação as agressões foram motivadas pelos protestos contra a arbitragem de Lucílio Baptista com o MP a alegar que os atletas "empurraram os seguranças" no sentido de chegarem ao homem do apito.

Notícias: 1ª Liga