Uma questão de critérios ou coloração?

Lucílio, mais conhecido por Cardoso por um tal de presidente da Juventus, foi peremptório ao assinalar o castigo máximo por suposta falta de Gregory sobre Romagnoli, no jogo deste domingo entre Sporting e Marítimo, em Alvalade.Já no estádio do Bessa, aquando do jogo Boavista-Benfica, o mesmo árbitro internacional não teve dúvidas em não assinalar penalty num lance em que tanto Petit como Léo foram claramente abalroados dentro da área da equipa axadrezada, isto sem esquecer que os casos desse jogo não ficaram por aí.Analisando a frio os dois lances, em Alvalade e no Bessa, torna-se difícil arranjar uma explicação plausível para tamanha diferença de critérios de Lucílio Baptista. Qualquer leigo na matéria percebe que os penaltys sobre Petit e Léo no Bessa são por demais evidentes quando comparados com a queda de Romagnoli na área do Marítimo, queda essa que Lucílio não teve qualquer tipo de dúvidas em converter num castigo máximo contra a equipa insular.Quais as razões para tamanha diferença de comportamento? Será que a incompetência pode afectar sempre os mesmos personagens? Ou será que para Lucílio as decisões se regem por uma questão de coloração?Fica então aberta a discussão sobre um assunto que a mim muito me fascina, ao mesmo tempo que me deixa intrigado: Lucílio Baptista, árbitro internacional e um dos mais conceituados do país. Sentem-se enganados? Eu sinto e não é pouco...Ramzi

Notícias: 1ª Liga