Euro 2008: Espanha é a nova campeã europeia

A Alemanha entrou melhor no jogo, dominando e revelando um atrevimento que não se lhe conhecia das prestações anteriores no torneio. Logo nos primeiros
instantes, Klose, aproveitando um mau passe de Sérgio Ramos, protagonizava uma jogada de mais susto do que perigo para os espanhóis. Eram os germânicos
quem detinham o controle do meio-campo e o primeiro lance ofensivo da Selecção ibérica só aconteceu aos 14 minutos com Lehmann a "salvar" a Mannshafft.
A partir daquele lance, a equipa espanhola perdeu a timidez inicial e aos 21 minutos Torres atirava de cabeça ao poste germânico. "El Niño", que assumia
nos ombros o peso de marcar dada a ausência do lesionado David Villa, deixava assim um aviso ao adversário. E aos 33 minutos de jogo Torres inaugurava
o marcador, segurando a bola no meio de dois defesas alemães antes de a atirar para o fundo das redes. Era o seu segundo golo no Campeonato.Pouco depois a Espanha, mais desinibida com a vantagem, quase marcava o 2-0 com David Silva a atirar por cima. Iniesta era a grande bússola da formação
ibérica com a sua capacidade de passe aliada à boa leitura de jogo a colocarem por diversas vezes a defesa germânica em dificuldades.Na parte final do primeiro tempo, a Alemanha passou vários minutos reduzida a 10 jogadores com Michael Ballack, a sangrar do sobrolho, a ser
assistido por largos minutos fora das quatro linhas. O médio do Chelsea esteve em dúvida para o jogo, mas acabou por integrar as escolhas iniciais do
treinador Joachim Low.A Espanha continuou melhor à entrada para a segunda metade com várias ocasiões para ampliar o marcador. O defesa Sérgio Ramos até tentou imitar
Madjer, ex-avançado do FC Porto que marcou de calcanhar, em Viena, o golo da vitória do FC Porto na Liga dos Campeões em 1987. Logo de seguida, Torres quase
"bisava", mas Lehmann conseguiu travar o avançado do Liverpool.
Apesar do domínio adversário, a Alemanha resistia e aos 59 minutos Ballack teve o empate nos pés, mas atirou por cima. Foi um momento decisivo que teve o
condão de despertar os germânicos. Já com Kuranyi em campo, e com o jogo a ficar mais "durinho" e a pressão a aumentar, a Selecção alemã atravessava o
seu melhor período no encontro.Os espanhóis conseguiam sobreviver ao último fôlego alemão e Sérgio Ramos obrigava Lehmann a uma grande defesa. Mais tarde Marcos Senna, o primeiro
jogador nascido no Brasil a sagrar-se campeão europeu, teve oportunidade flagrante para marcar o 2-0, mas falhou à boca da baliza, perdendo o seu
momento de glória depois de ter sido um dos esteios do meio-campo espanhol durante o Euro.A Alemanha, fazendo jus ao espírito de sempre, não desistia e permanecia-se na expectativa de um golo tardio do empate. Mas esse tento nunca chegou.
Nem o segundo golo que os espanhóis mereciam.
O 1-0 foi o bastante para erguer a Taça. Ganha a melhor equipa do Europeu que não perdeu qualquer
jogo, que teve o melhor ataque (12 golos) e a melhor defesa (3 tentos sofridos) e que conta nas suas fileiras com o melhor marcador do Campeonato,
David Villa, com quatro golos.Luis Aragonés, de 69 anos, torna-se no treinador mais velho a sagrar-se campeão europeu e despede-se da forma ideal da Selecção do seu país, já que vai treinar o Fenerbahçe a partir de Julho.+ Espanha: Casillas, Sergio Ramos, Puyol, Marchena, Capdevila, Marcos Senna, David Silva (66´ Santi Cazorla), Xavi Hernández,
Fabregas (63´ Xabi Alonso), Iniesta e Fernando Torres (78´ Guiza)GOLOS: Torres (33´)+ Alemanha: Jens Lehmann, Friedrich, Mertesacker, Metzelder, Lahm (46´ Jansen), Hitzlsperger (58´ Kuranyi), Frings, Schweinsteiger,
Ballack , Podolski e Klose (79´ Gómez)Fotos: LusaSusana Valente