Os craques que ficam a ver o Mundial passar


Os craques que ficam a ver o Mundial passar
Nani é "baixa" da Selecção portuguesa para o Mundial da África do Sul, mas ao torneio que arranca na sexta-feira faltam outros craques, ora afligidos por lesões, ora preteridos pelos treinadores.





Na Selecção portuguesa, além de Nani, descartado no dia do último jogo de preparação para o Mundial contra Moçambique devido a um problema num ombro, há ainda a ausência de Bosingwa. O lateral-direito lesionou-se num jogo do Chelsea e está afastado dos relvados desde 17 de Outubro de 2009 depois de ter sido operado por duas vezes ao joelho esquerdo.


Colega de equipa de Bosingwa, Michael Ballack (Chelsea) é "baixa" de peso na Selecção alemã, igualmente por lesão. Além do capitão, que faria na África do Sul provavelmente o último Mundial da sua carreira, a "Mannshaft" não pode também contar com o guarda-redes titular René Adler (Bayer Leverkusen), devido a problemas nas costelas, e "perdeu" ainda Westermann (Schalke 04), que partiu um pé, Rolfes (Bayer Leverkusen) e Träsch (Estugarda), estes dois últimos com os tornozelos magoados.


Na Selecção de Inglaterra foi já em solo africano que o seleccionador Fabio Capello ficou sem o capitão Rio Ferdinand (Manchester United), operado a um joelho, depois de se ter magoado num treino. Antes David Beckham tinha sofrido uma lesão no tendão de Aquiles, ao serviço do AC Milan, que o deixa de fora do Mundial. Por opção técnica é excluído o avançado Theo Walcott (Arsenal).


Uma das maiores "baixas" do Campeonato é Ronaldinho, descartado por Dunga por "embirração" do seleccionador canarinho, dirão alguns. Certo é que o craque do Milan fica a ver o Mundial do sofá, tal como o colega de equipa Alexandre Pato, igualmente preterido pelo treinador. Menos surpreendente será a ausência de Adriano, avançado que assinou pela Roma em busca da glória perdida nas polémicas com o álcool à mistura.

E no primeiro Mundial em solo africano dois dos melhores jogadores do continente não marcam presença na prova. O Gana não pode contar com Michael Essien e a Nigéria tem em Obi Mikel uma baixa de peso, são mais dois atletas do Chelsea, clube que muito contribui para o lote de lesionados ausentes do Campeonato.

Na Argentina as escolhas de Maradona não deixaram de causar controvérsia pelos nomes excluídos, a começar por Javier Zanetti e Esteban Cambiasso, campeões europeus com o Inter de Milão. Também os ex-portistas Lisandro (Lyon) e Lucho (Marselha) ficam de fora do Mundial por mera opção de "El Pibe".

Os jogadores do Real Madrid Karim Benzema e Lassana Diarra são os famosos ausentes da França, o primeiro por opção do seleccionador Raymond Domenech e o segundo devido a lesão. O veterano Patrick Vieira (Manchester City), de 34 anos, também perdeu a corrida para aquele que seria o último Mundial da sua carreira, depois de uma época marcada por problemas físicos.

Outro veterano excluído é Ruud van Nistelrooy, avançado de 33 anos que não conta para a Holanda e que assim terá perdido a oportunidade de participar no seu último Campeonato do Mundo.


Para Cristian Rodríguez (FC Porto) o Mundial fica à distância por ter que cumprir castigo nos dois primeiros jogos do torneio, factor que pesou na decisão do seleccionador do Uruguai. Já Salvador Cabanas teve um infortúnio bem mais grave, depois de ter sido baleado na cabeça e constitui "baixa" significativa na equipa do Paraguai.

O defesa internacional sérvio Ivica Dragutinovic (Sevilha) é traído pelo tendão de Aquiles do pé, depois de ter sofrido uma rotura num treino. Aos 34 anos é o adeus à maior competição mundial de futebol. Para o defesa suíço Christoph Spycher (Young Boys), de 32 anos, a lesão que o tira do Mundial é também a despedida da Selecção. A equipa helvética não pode ainda contar com o avançado Marco Streller (Basileia) devido a uma lesão muscular na coxa esquerda.

Já para os avançados Zlatan Ibrahimovic e Andrey Shevchenko o problema é o da não qualificação das respectivas Selecções, a Suécia e a Ucrânia.