Pequim 2008: Nélson Évora «super-radiante» com Ouro olímpico


Pequim 2008: Nélson Évora «super-radiante» com Ouro olímpico
Nélson Évora diz que vai «demorar alguns dias para digerir» a vitória na final do Triplo Salto dos Jogos Olímpicos de Pequim. O atleta conquistou para Portugal a quarta Medalha de Ouro na história das Olimpíadas depois de Carlos Lopes, Rosa Mota e Fernanda Ribeiro e diz-se «super-radiante» com o feito após um ano que confessa ter sido «muito difícil».




«Nem podem acreditar o quanto é que eu me esforcei para estar aqui na melhor forma possível», revela o atleta em declarações divulgadas pela Rádio Antena 1 depois de se ter sagrado campeão olímpico. «Ainda não consigo acreditar», dizia ainda Nélson Évora, aproveitando para «agradecer a todos os portugueses e a todos os países PALOP» o apoio que recebeu.

E apesar da participação decepcionante de outros atletas portugueses nestes Jogos, Nélson Évora diz que «o que a nossa Selecção fez foi espectacular», tendo em conta a dimensão do país. Sobre os que falharam repara que é preciso perceber que «ninguém mais do que eles queria fazer melhor».


Vicente Moura, presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), já felicitou o vencedor, salientando também na Antena 1 que Nélson Évora «provou que é um grande atleta». O dirigente deixa ainda uma palavra de conforto para Naide Gomes, que falhou a final do Salto em Comprimento, realçando que ela poderia igualmente «ter festejado uma medalha».

O presidente do COP também fala do quarto lugar de Gustavo Lima na Vela para constar que «não havia qualquer utopia» quando apontou as quatro medalhas como meta a alcançar em Pequim. Portugal só tem duas medalhas conquistadas - Vanessa Fernandes foi Prata no Triatlo - e Vicente Moura admite que é «um resultado um pouco abaixo do que desejaríamos».

Sobre a recandidatura à presidência do COP, e depois de ter dito que seria o seu último mandato, Vicente Moura mostra-se agora «disponível» para continuar, desde que tenha o apoio das Federações para formar «uma candidatura forte com capacidade para fazer as mudanças que é preciso fazer».



Foto: Lusa