Deco: nunca me senti marginalizado na Selecção

«Quem decide o meu futuro sou eu!»«Nunca senti qualquer tipo de preconceito, se eu sentisse não estaria aqui hoje», afiança Deco sobre a aceitação que recebeu no seio da equipa portuguesa. O jogador do Barcelona, que agora se assume como uma das principais figuras do futebol europeu, garante ainda que não está arrependido de ter optado pela Selecção portuguesa, perdendo assim a hipótese de vir a ser chamado pelo Brasil. «Se tivesse que voltar atrás tomaria a mesma decisão», nota o jogador. «Se eu teria lugar ou não na Selecção canarinha também não me importa», adiciona perante uma pergunta de um jornalista brasileiro.E no dia em que surge a notícia de que o Barcelona equaciona trocar Deco por Frank Lampard com o Chelsea, o médio destaca que não sabe de nada e deixa um aviso. «Quem decide o meu futuro não é ninguém do Barcelona, sou eu», destaca o internacional das quinas.Deco constata também que está num momento físico quase ideal, assegurando que está «bem melhor do que há algumas semanas, se calhar até melhor do que quando a época acabou», diz. De resto o médio recua até ao Euro 2004 e refere que «é natural que estejamos melhor que há dois anos. O grupo é praticamente o mesmo, por isso estamos mais maduros e experientes», frisa. De resto nota a ansiedade de todos para que o Mundial comece e promete que toda a equipa vai «lutar e trabalhar» por uma boa prestação.Visita ao dentista para Boa Morte e um pai babado de voltaNa sala de imprensa do complexo de Marienfeld, Fernando Meira falou do entrosamento com Ricardo Carvalho no centro da defesa lusa e sublinha que «já é uma questão desvalorizada. É o meu pensamento melhorar o entrosamento com todos eles e não apenas com o Ricardo», salienta o atleta do Estugarda. Sobre a partida com Angola de domingo, Meira refere que Portugal tem vindo a «aperfeiçoar o conhecimento» dos "Palancas Negros", realçando que a equipa das quinas tem «qualidade para vencer, mas isso tem de ser provado dentro do campo», lembra.A marcar o dia da equipa das quinas em terras germânicas, de notar que Luís Boa Morte acordou com uma dor de dentes e teve que consultar um especialista para debelar o problema, faltando assim aos trabalhos da Selecção. Paulo Ferreira por outro lado está de regresso, depois de se ter deslocado a Portugal para assistir ao nascimento do seu primeiro filho. Nesta quinta-feira a comitiva lusa recebe mais um "reforço", com a chegada de Jorge Andrade que, embora esteja lesionado e sem poder jogar, vai constituir mais um elemento da Selecção portuguesa.Foto: Agência LusaSusana Valente