Equador-Costa Rica: a morte ou a glória


Equador-Costa Rica: a morte ou a glória
«Será morte ou glória». É assim que o seleccionador da Costa Rica aborda o jogo frente ao Equador. Depois da derrota com a Alemanha no primeiro jogo do Grupo A, os costa-riquenhos só podem pensar em ganhar para poderem sonhar com um lugar nos oitavos-de-final do Mundial. Ciente disso está o Equador com o seleccionador Luis Fernando Suárez a notar que será uma partida «muito mais difícil» do que o jogo com a Polónia. Os equatorianos derrotaram surpreendentemente os polacos e Suárez salienta que está é a
«oportunidade de fazer história» com o ponto de mira nos oitavos-de-final, fase que o Equador nunca alcançou.

Equador-Costa Rica [14 horas, SportTV]

Será o décimo confronto entre as duas Selecções, sendo que nos nove jogos anteriores, todos amigáveis, as equipas repartem
dois triunfos para cada e houve cinco empates. No último jogo, em Fevereiro de 2005, o Equador ganhou por 2-1 na Costa Rica e a equipa equatoriana apresenta-se no Mundial com uma defesa sólida com Ivan Hurtado, Ulisses de la Cruz, Giovanny Espinoza e Neicer Reasco. Suárez deve manter o onze que derrotou a Polónia, não tendo preocupações com lesões.
Do lado da Costa Rica o defesa Gilberto Martínez é "baixa" de peso por lesão, devendo Jervis Drummond ser o escolhido para o substituir. O treinador Alexandre Guimarães anunciou que vai apresentar «mudanças tácticas», nomeadamente com a aposta numa equipa mais ofensiva. Deixando elogios ao adversário, realçando que «o Equador é uma equipa muito bem organizada, que pratica o mesmo estilo de jogo há 12 anos», Guimarães frisa contudo que «as nossas esperanças continuam muito altas». O avançado Wanchope, que marcou dois golos à Alemanha na estreia no Mundial, alerta que os equatorianos têm «jogadores muito rápidos como De la Cruz, Tenório é um perigo na direita e Agustín Delgado tem bom faro para o golo», nota.
Pela parte do Equador é Espinoza, de 29 anos, quem vem alertar que para muitos dos jogadores da Selecção «é provável que seja o último Mundial. É o jogo das nossas vidas», sustenta por isso, deixando antever muita luta.

+ Onze provável do Equador: Mora, De la Cruz, Hurtado, Espinoza, Reasco, Mendez, Edwin Tenorio, Castillo, Valencia, Delgado e Carlos Tenorio
+ Onze provável da Costa Rica: Porras, Marin, Umana, Drummond, Gonzales, Solis, Centeno, Sequeira, Fonseca (or Bolanos), Gomez e Wanchope
+ Árbitro: Coffi Codji (Benim)