"PSP do Porto desrespeitou a lei"

Acusação vem do Belenenses em consequência de ocorrências no Bessa.

A proibição de adereços ligados ao clube do restelo no Estádio do Bessa, pela PSP do Porto, está ainda a levar acesas trocas de acusações entre as duas partes.

O Comando Metropolitano do Porto, tinha feiro um comunicado a justificar a medida, dizendo que a claque não se encontrava legalmente registada. Em resposta a esse argumento, a direção do Belenenses veio a terreiro afirmar que "Os símbolos e a história do Belém têm de ser dignificados. O clube tem de ser respeitado. A resposta da PSP não refere o essencial. Só podemos repetir o que está no nosso comunicado. O comando geral da PSP do Porto desrespeitou a lei, porque se tratava de simples adeptos com adereços".

Já o provedor de sócios do Belenenses, Rodrigo Saraiva, adianta: "A claque Fúria Azul está registada como associação juvenil e é reconhecida como núcleo oficial do Belém. Os problemas existem desde 2004, sensivelmente, quando saiu legislação para as claques e, embora as atuações variem consoante o sítio, há a proibição de utilizarmos elementos com o nome da Fúria.Mas nunca cachecóis do Belenenses, e foi isso que aconteceu. Proibiram uma criança de entrar com uma bandeira doBelém. Isto é completamente inconstitucional. Para não dizer que a explicação da PSP não nos satisfaz, como é óbvio."

Também a claque belenense "Fúria Azul" emitiu um comunicado, onde se regista que a claque do Belenenses solicitou que a PSP passasse a aceitar a entrada de símbolos do núcleo nos estádios. Alem disso, deve avançar uma queixa à Procuradoria Geral da República e Ministério da Administração Interna por parte da direção do clube, presidida por Patrick Morais de Carvalho.

Notícias: Belenenses