Benfica a todo o gás vence Anderlecht fraco

Boa exibição europeia permite triunfo por 2-0 no arranque da Liga dos Campeões.

Um Benfica forte e personalizado entrou esta terça-feira a vencer na Liga dos Campeões. A equipa de Jorge Jesus, na melhor exibição da temporada, bateu o Anderlecht por 2-0 e muitos outros golos ficaram por marcar no Estádio da Luz. Começaram bem os encarnados, apesar de nos últimos minutos a defesa ter passado por calafrios desnecessários.

Jorge Jesus inovou na equipa inicial. André Almeida foi titular no lugar de Maxi Pereira, e Djuricic apoiou Cardozo no ataque, em vez de Lima. Fejsa também jogou de início, fazendo uma ótima dupla com Matic.

O Benfica entrou muito forte e surpreendeu o Anderlecht com a velocidade e a dinâmica que impôs desde o início. Os belgas não atinavam com as marcações e os homens mais avançados dos encarnados aproveitavam os espaços para criarem ocasiões. Numa delas, logo aos 4 minutos, o estreante Djuricic fez o 1-0, na recarga a um remate de Enzo Pérez.

A vencer, o Benfica não baixou o ritmo. Os atarantados belgas não sabiam para onde se virar, tão grande e diversificado era o caudal ofensivo dos homens da casa, muito apoiados pelo público. O segundo golo, aos 30 minutos, apenas consubstanciou o domínio total patente no relvado – um bom golo de Luisão, num remate dentro da grande área à ponta de lança.

A vantagem poderia ter sido aumentada em mais do que uma ocasião até ao intervalo. Mas Cardozo, muito esforçado e participativo, não acertou com a baliza.

A segunda parte foi diferente. O intervalo fez bem ao Anderlecht, que reentrou com uma atitude mais consentânea com a Liga dos Campeões – ainda assim, sem mostrar qualidade suficiente. O Benfica, com uma vantagem de dois golos, baixou o ritmo, mas sem nunca perder o controlo do jogo.

Apesar de alguma aflição nos minutos finais, em que a bola andou vezes demais perto de Artur – em especial em bolas paradas -, pertenceram aos encarnados as principais oportunidades.

Destaque para as boas exibições de Fejsa, Cardozo e Siqueira. Markovic, de quem se espera sempre muito, precisa de saber passar a bola e de não tentar fazer tudo sozinho.  

Segue-se aquele que será presumivelmente o jogo mais difícil para o Benfica no grupo C, em Paris.

Equipas:
Benfica - Artur; André Almeida, Luisão, Garay e Siqueira; Matic e Fejsa; Enzo Pérez (Ola John, 69’), Djuricic (Maxi Pereira, 75’) e Markovic; Cardozo (Lima, 87’).
Suplentes: Paulo Lopes, Maxi Pereira, Jardel, André Gomes, Lima, Ola John e Rodrigo.

Anderlecht - Proto; Gillet, Mbemba, Kouyaté e NSakala; Kljestan, Milivojevic, De Zeeuw (Acheampong, 46’) e Bruno (Praet, 79’); Mitrovic (Cyriac , 77’) e Suárez.
Suplentes: Kaminski, Deschacht, Praet, Nuytinck, Cyriac, Acheampong e Tielemans.

Notícias: Benfica