Benfica explica Roberto, mas não chega para a CMVM

SAD encarnada fala em "dois contratos" no negócio de transferência do guarda-redes, mas não revela v

A SAD do Benfica enviou à Comissão de Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM) um comunicado com dados adicionais sobre a transferência do9 guarda-redes Roberto para o Saragoça, mas a entidade não considera estes esclarecimentos suficientes e suspendeu as negociação das ações da Sociedade.

Os responsáveis do Benfica alegam no documento enviado à CMVM que a transferência foi acertada por 8,6 milhões de euros através de “dois contratos celebrados”, um com a Real Zaragoza SAD e outro com "uma sociedade de direito espanhol situada a um nível mais elevado da cadeia de domínio da Real Zaragoza SAD”.

As águias acrescentam que "a Real Zaragoza SAD adquiriu de forma definitiva os direitos desportivos" de Roberto, enquanto que a outra sociedade "passou a titular os direitos económicos” do guarda-redes.

No mesmo comunicado esclarece-se que o pagamento do passe de Roberto será feito de "forma fracionada" e que se encontra "garantido, nomeadamente por títulos de crédito”.

Detalhes que a CMVM não considera suficientes para esclarecer o caso, daí a suspensão das ações em Bolsa. A entidade tinha solicitado designadamente a "dissociação dos direitos económicos e dos direitos desportivos e valor de cada um deles", algo que a SAD encarnada não faz no comunicado referido.

 

Notícias: Benfica