“Caso Jesus”: Liga abre processo a árbitros e delegados

Em causa estão indícios de omissão do dever de informação nos relatórios.

A Liga abriu um processo disciplinar a todos os envolvidos no jogo do passado domingo entre o Vitória de Guimarães e o Benfica, nomeadamente a equipa de arbitragem e os seus delegados, além de Jorge Jesus. Em causa está, de acordo com a agência Lusa, a eventual omissão de factos nos relatórios.

A Comissão de Instrução e Inquéritos (CII) da Liga decidiu investigar a fundo os incidentes após o jogo entre Vitória de Guimarães e Benfica, pelo que abriu um processo disciplinar a todos os intervenientes – ou seja, o treinador Jorge Jesus, a equipa de arbitragem liderada por Bruno Esteves e os delegados da Liga. No caso dos árbitros e dos delegados, o processo deve-se a indícios de omissão do dever de informação nos respetivos relatórios.

Segundo a Lusa, o Conselho de Disciplina da FPF não instaurou nenhum processo de inquérito a Jorge Jesus, tendo remetido para a CII os relatórios do jogo e as imagens dos incidentes. Esta comissão instaurou o processo ao treinador do Benfica, aos delegados Paulino Carvalho e Carlos Santos e aos quatro elementos da equipa de arbitragem: Bruno Esteves, Mário Dionísio, Rui Teixeira e Manuel Oliveira.

Notícias: Benfica