Fernando Santos não esquece o amigo Pinto da Costa


Fernando Santos não esquece o amigo Pinto da Costa
Em tempos de evidente tensão entre os responsáveis de Porto e Benfica, nas vésperas do clássico entre os dois emblemas, não é estranho o testemunho de amizade que o treinador das águias manifesta em relação ao presidente dos dragões. Fernando Santos sublinha que Pinto da Costa será um «adversário» no sábado, mas o técnico apela aos seus «princípios e convicções pessoais» para realçar que o dirigente portista é um «amigo». As relações de proximidade entre Fernando Santos e Pinto da Costa resistem desde os tempos em que o treinador comandou o Porto. Aquele que será eternamente o "engenheiro do penta" dos dragões não esquece que o presidente azul e branco o "segurou" no banco contra o mar de contestação...


Treinador mal-amado em Portugal

Ao comando do Porto Fernando Santos venceu o título nacional na época 1998/1999 estando assim associado à conquista do "penta" azul e branco, mas o feito é desvalorizado por muitos que entendem que sem Jardel, que brilhava então na Invicta nos seus tempos áureos de marcador, o engenheiro não tinha chegado lá. O treinador conquistou ainda duas Taças de Portugal com os portistas, mas muitos adeptos não lhe perdoam o facto de ter perdido dois títulos para Sporting e Boavista, respectivamente nas épocas 1999/2000 e 2000/2001.
A verdade é que nas três épocas passadas no Porto, Fernando Santos nunca arrancou paixões entre os adeptos. O momento de maior tensão e de auge da contestação terá sido porventura o vivido após a eliminação da Taça de Portugal aos pés do Torreense na época 1998/1999. Mas Pinto da Costa persistiu na manutenção do treinador, confrontando inclusivé as críticas de associados ilustres e até a oposição de alguns dos seus pares de direcção.
Em 2001 o agora técnico da Luz acabou por rumar à Grécia onde todos lhe reconhecem qualidades, apesar de na liderança do Panathinaikos e do AEK de Atenas ter conquistado apenas uma Taça grega. No regresso a Portugal, e depois de ter enfrentado o insucesso no Sporting, Fernando Santos assumiu o clube do coração no início desta temporada, mas também não arrecada unanimidades entre os benfiquistas. O seu benfiquismo assumido não o torna imune a insinuações pela sua ligação ao rival da Invicta e muito menos pela amizade pública que mantém com Pinto da Costa. No domingo passado, durante o jogo dos encarnados com o Estrela da Amadora, Fernando Santos envolveu-se numa discussão com um adepto que, conforme o próprio treinador contou, o acusou de ter dado indicações a Miccoli para ser expulso de modo a não alinhar frente ao Porto neste sábado. O estilo de Fernando Santos não parece o mais adequado para o fervor clubístico que em Portugal vive melhor com discursos inflamados. A falta de carisma do engenheiro motiva-lhe reparos de incapacidade de liderança no balneário e de ser portanto permeável à indisciplina.
À luz do cenário actual seria porventura mais fácil a Fernando Santos "esquecer" a empatia pessoal com Pinto da Costa, e se escolhesse criticar o patrão dos dragões teria certamente a dádiva de um carinho imediato dos adeptos benfiquistas. Mas o engenheiro opta por assumir a amizade com o presidente rival, o que lhe poderá trazer alguns azedumes se porventura perder o clássico, podendo até enfrentar insinuações de ter facilitado a vida ao amigo... Curioso é que quando estava no Porto o argumento que vinha à boca dos adeptos azuis e brancos nos momentos amargos era o do benfiquismo do técnico.


Foto: Agência Lusa

Notícias: Benfica