Inácio avisou: Moreirense surpreendeu Benfica

O "rei" da Taça da Liga não vai estar na final desta vez. 3-1 no Estádio do Algarve.

No dia anterior à segunda meia-final da Taça da Liga, Augusto Inácio disse: "Se o Moreirense derrotar o Benfica, vão todos dizer «aahh». Porque será uma surpresa. É isso que vamos tentar fazer, surpreender". E conseguiram. O Moreirense esteve a perder mas deu a volta e ganhou por 3-1, num duelo com duas partes bem distintas.

O marcador registou 0-0 durante pouco tempo. Aos cinco minutos, grande cruzamento de Eliseu e Salvio inaugurou o marcador. O Benfica ia apresentando boas e rápidas (mas não muitas) combinações ofensivas, algumas com nota artística, com Rafa e Salvio a criarem perigo. Ederson tocou poucas vezes na bola mas, mesmo a fechar a primeira parte, teve de ficar atento perante um remate de Jander.

Foi uma amostra do que iria acontecer no arranque do segundo tempo. Aos 10 minutos o Moreirense já estava a ganhar. Dramé e Boateng foram eficazes e marcaram. Esperava-se uma reação forte do vencedor da prova. Não houve. À tentativa de Eliseu, Diego Gallo reagiu. E foi mesmo o conjunto de Moreira de Cónegos a voltar a marcar, no bis de Boateng. Aí sim, houve reação e momentos de quase "massacre encarnado": Jonas acertou duas vezes nos ferros, Makaridze teve de se aplicar duas vezes e Rafa e Salvio falharam o alvo por pouco. Meia dúzia de situações de golo em meia dúzia de minutos e o Benfica justificou, pelo menos, reduzir.

Mas a equipa da Luz não apresentou a eficácia do adversário, reagiu tarde (e com algum azar) e, por isso, perdeu pela segunda vez na história da Taça da Liga, nos 90 minutos. O Moreirense, pela primeira vez, ganhou um jogo diante do Benfica. E, também pela primeira vez, vamos assistir a uma final da Taça da Liga sem qualquer "grande". Uma inédita final minhota que, muito provavelmente, será também a final com menos pessoas nas bancadas, no próximo domingo.

Notícias: Benfica