Jesus: "Saídas são fruto do meu trabalho"

Técnico encarnado falou das prováveis perdas de Salvio e Fábio Coentrão. E também abordou a questão

Jorge Jesus já não tem grandes esperanças em contar com Salvio e Fábio Coentrão para a próxima temporada. Nada de mais natural, no entender do treinador do Benfica. "O Benfica propôs-me, além de títulos, potenciar jogadores. A resposta nesse aspeto foi dada no ano passado e este ano também vai ser dada", explicou esta quarta-feira o treinador, durante as actividades do Dia Mundial da Criança, promovidas pela Fundação Benfica.

Salvio e Coentrão são, todavia, situações diferentes. "O Salvio chegou ao Benfica depois de não ter grandes oportunidades no Atlético Madrid. Desenvolvemos o seu potencial - que ele tinha, se não tivesse o treinador não fazia milagres - e hoje é cobiçado por várias equipas da Europa e pelo próprio Atlético de Madrid. Não é um jogador do Benfica, o Benfica está dependente do Atlético de Madrid, portanto vamos aguardar. Mas também é um jogador que nós sabemos que, com a lesão que ele teve, seguramente só lá para Outubro ou Novembro é que poderia estar em competição. De qualquer forma não o dou como perdido", disse.

Também Fábio Coentrão parece ser cada vez mais uma carta fora do baralho. "O Coentrão é a mesma coisa, está dentro daquilo que nós trabalhamos. É um 'produto Benfica', porque foi aqui que conseguiu mostrar todas as suas capacidades. Por onde passou antes, nunca conseguiu ser potencializado. Quando chegou ao Benfica, acreditou no trabalho dele, e a equipa acreditou também nas potencialidades dele. Neste momento é um jogador muito querido da massa associativa, mas isto também faz parte do meu trabalho... O ano passado vi sair três e este ano se vir sair mais um, dois ou três é também a produção do meu trabalho", constatou.

Os reforços que vão chegar à equipa vão ter todos o mesmo tratamento. "Têm de perceber a cultura do clube, os objetivos da equipa. Tem de haver um compromisso muito grande deles para com a equipa, e a partir daí temos regras que todos têm de perceber quais são", frisou.

Questionado sobre se o papel de Rui Costa no clube irá ser diferente, a propósito de declarações de Luís Filipe Vieira, Jorge Jesus deu a sua opinião: "O Rui é um elemento que esteve sempre muito ligado a mim e ao presidente. Tudo o que nós fazemos no futebol fazemos a três, portanto é a pessoa indicada para, juntamente com o presidente, estar perto de mim".

Jorge Jesus não quis falar sobre o 'caso' Júlio César. "Em relação a isso, o presidente e o meu advogado já falaram".

(notícia atualizada)

Acompanhe os artigos do Relvado no Facebook e no Twitter.

 

Notícias: Benfica