Benfica não superou barreiras do Marítimo

Turma madeirense levou a melhor sobre a equipa da Luz, no Funchal.

O Benfica estreou-se com uma derrota na I Liga 2013/14 no Estádio dos Barreiros, local de memórias "frescas" entre os adeptos da Luz. O Marítimo levou a melhor sobre o vice-campeão nacional por 2-1, neste domingo.

Bruno Cortez, Djuricić e o regressado Ruben Amorim foram novidades na equipa titular de Jorge Jesus, em relação à época passada, numa primeira parte longe de ser espetacular, no Funchal. O Benfica tinha a bola durante mais tempo, aproximava-se mais vezes da área local, mas jogadas de perigo eram algo que não abundava. Garay, de cabeça, atirou muito perto da barra; Artur respondeu com um remate à rede lateral, da parte de fora, que criou ilusão de golo em vários adeptos do Marítimo.

Sob um calor considerável, o encontro era disputado sobretudo a meio campo, com muita disputa mas pouco trabalho para os guarda-redes, até que surgiu o minuto 44'. Derley apareceu isolado na área, ia contornar Artur, mas foi tocado pelo guarda-redes, caiu e foi assinalada grande penalidade; o próprio Derley inaugurou o marcador e o intervalo chegou logo a seguir.

Rodrigo e Sami - Foi um Marítimo confiante e a conseguir boas trocas de bola que entrou em campo na segunda parte, mas quem acalmou a confiança local foi Rodrigo, que entrou após o intervalo para finalizar com golo um contra-ataque; Lima aproveitou um passe errado na defesa madeirense (o brasileiro iniciou o lance com um toque involuntário na bola com o braço) e assistiu o internacional espanhol, que rematou de primeira. E o Benfica passou a "sufocar" a área adversária. Os jogadores do Marítimo pareciam exaustos, ou perdidos, e a turma da Luz teve espaço no ataque em quase todas as jogadas ao longo do primeiro quarto de hora; José Sá passou a ter mais trabalho, mas respondeu bem a um remate traiçoeiro de Rodrigo. Sami tentou sacudir a pressão do Benfica, num remate que passou a centímetros do poste, e Gaitán respondeu com jogada semelhante.

Na última meia hora deixou de ser visível o domínio claro dos lisboetas. E foi um mau domínio, numa perda de bola do Benfica a meio campo, que ditou novo golo madeirense, após cruzamento do lado esquerdo, ao qual Sami respondeu no primeiro poste, aos 77'. O Marítimo não tinha justificado esta vantagem no marcador e o Benfica, sem grande coesão ou criatividade, tentou responder por Lima e Luisão, com Márcio Rozário e José Sá a impedirem novo empate. Lima ainda se queixou de uma grande penalidade não assinalada, por alegada falta de Rúben.

E assim o 2-1 se manteve até final, premiando a eficácia do Marítimo, com Sami em destaque; quanto ao Benfica, a inspiração e a velocidade não foram propriamente uma constante. Mas não merecia a derrota.

Equipas

Marítimo:
José Sá
Briguel, Igor Rossi, Márcio Rozário, Rúben Ferreira
Danilo Pereira, Alex Soares (Heldon), João Luíz
Artur (Marakis), Sami, Derley (Gêgê)

Benfica:
Artur
Maxi (Sulejmani), Luisão, Garay, Bruno Cortez
Matić, Enzo Pérez, Rúben Amorim (Ola John), Gaitán
Djuricić (Rodrigo), Lima

Golos: Derley (45'), Sami (77'); Rodrigo (50')

Notícias: Benfica