Nélson contradiz boletim médico: novo braço-de-ferro na Luz?

Já muito se falou sobre lesões no Benfica. Para fugir aos lugares comuns e às graçola estafadas, que tal admitir que há sempre decisões de risco, sobretudo se utilizadas indiscriminadamente, mas que podem ser perfeitamente legítimas do ponto de vista médico, como é o caso das infiltrações.A infiltração é uma prática terapêutica relativamente comum tanto no mundo do futebol como em outros desportos. Permitem ao atleta continuar a jogar ou recuperar mais rápido sob analgésicos ou anti-inflamatórios ainda que de forma condicionada, evitando paragens prolongadas ou mesmo recurso a cirurgia. Não é uma medida negligente para a saúde do jogador mas deve ser feita com critério, dado que pode agravar a lesão ou afectar o seu rendimento. Já vários ex-jogadores do Benfica, como Miguel e Manuel Fernandes, se queixaram da excessiva utilização das infiltrações.No passado, os jogadores de futebol "sobreviviam" a quase tudo apenas por dedicação ao clube ou à selecção. Conta-se que João Pinto, lateral direito do FCPorto, chegou a jogar um mês inteiro com o dedo do pé partido, e é hoje um dos maiores símbolos de bravura e lealdade do clube. Beckham e Rooney, entre outros, foram recuperados in extremis sob intevenção directa de medicamentos, para poderem jogar pela selecção inglesa em fases finais. Haverão claro muitos exemplos de casos bem sucedidos.Nélson regressou na Reboleira, onde ganhou ritmo para o clássico. Mas voltou a lesionar-se na Luz no jogo com o Shaktar. O ala-direito de 23 anos escreve no seu sítio oficial que tem uma micro-rotura e precisa de pelo menos um mês em recuperação. Já o Benfica refere uma lesão muscular. Espera-se que jogue já no início de Novembro.Estaremos perante um desentendimento entre o clube e o jogador ou um simples equívoco? Será que o clube decidiu colocou o jogador cedo de mais e quer agora acelerar novamente o tratamento, ao passo que Nélson faz finca-pé numa recuperação integral?Numa altura em que o Benfica conta com três jogadores para a posição de lateral-direito, não será insensato precipitar a recuperação do atleta? Sobretudo tendo em conta a quantidade de jogos seguidos que se exigiram a jovem como Nélson, na época passada. Não será isto o "usar e deitar fora" que apontavam a Veiga?Por outro lado, a imprensa propalou o interesse do Sevilha no último defeso, rejeitado liminarmente pelo Benfica. É também plausível que o próprio Nélson tenha ficado insatisfeito, e esteja a aproveitar esta lesão para marcar uma posição. O que acham os relvas?Fonte:
"Médicos desfazem o mito da infiltração", Cidade do Futebol (site de consultoria e medicina desportiva)francobaresi

Notícias: Benfica