Benfica perdeu-se entre as estrelas do PSG

Derrota por 3-0 até poderia ter sido mais dilatada. Noite para esquecer para Jorge Jesus.

O Benfica foi batido esta quarta-feira pelo Paris Saint-Germain, de uma forma que não deixou dúvidas a ninguém. O triunfo do campeão francês por 3-0 só peca por escasso, tamanha foi a diferença evidenciada no Parque dos Príncipes pelas duas equipas. A equipa encarnada, que na liga portuguesa tem somado resultados menos bons, comprovou na Liga dos Campeões que está longe da qualidade de épocas anteriores. Os adeptos têm motivos para estarem preocupados.

A história do jogo conta-se em poucas linhas. Desde o início se percebeu que as muitas estrelas do Paris Saint-Germain eram demasiado fortes para o meio-campo (não se percebe a titularidade de Djuricic, muito fraco para estas andanças) e a defesa do Benfica. As lacunas evidenciadas pelos laterais encarnados – André Almeida e Siqueira perderam a conta aos lances em que foram batidos – abriram estradas para os extremos e laterais franceses. Van der Wiel e Lavezzi, em especial, faziam o que queriam e colocavam a bola com perigo nos homens da frente. Ibrahimovic e companhia agradeciam.

Foi assim o jogo todo e foi assim que surgiram os golos. Primeiro por Ibrahimovic, logo aos 5 minutos, a corresponder a um cruzamento de Van der Wiel; depois por Marquinhos, aos 24, a culminar uma excelente jogada ao primeiro toque entre Ibrahimovic, Verratti e Matuidi; finalmente por Ibrahimovic outra vez, aos 29, num pontapé de canto. Ainda não tinha passado meia-hora e o Benfica já tinha perdido por muitos.

Receou-se uma goleada a fazer lembrar pesadelos antigos, mas os franceses abrandaram o ritmo na segunda parte e deixaram o Benfica respirar. Apenas isso – os encarnados, apesar das alterações introduzidas por Jorge Jesus ao longo do jogo, nunca estiveram à altura deste adversário. O PSG, quando acelerava, causava sempre pânico na grande área visitante.

Há noites assim, e os adeptos do clube da Luz apenas podem esperar que esta não se repita tão depressa.

Equipas:

PSG - Sirigu; Van der Wiel, Marquinhos, Alex (Camara, 77’) e Maxwell; Matuidi, Verratti (Rabiot, 69’) e Thiago Motta; Cavani, Ibrahimovic e Lavezzi (Lucas, 69’).
Suplentes: Douchez, Camara, Digné, Jallet, Ménez, Rabiot e Lucas Moura.

Benfica - Artur; André Almeida, Luisão, Garay e Siqueira; Fejsa (André Gomes, 28’) e Matic; Enzo Pérez, Djuricic (Markovic, 46’) e Gaitán (Sulejmani, 65’); Cardozo.
Suplentes: Paulo Lopes, Maxi Pereira, Jardel, André Gomes, Sulejmani, Markovic e Lima.

Notícias: Benfica