Veiga vai processar o Estado português


Veiga vai processar o Estado português
José Veiga vai avançar com uma acção contra o Estado português. É uma notícia do jornal Público que surge à luz da última posição pública do Sporting relativamente à contratação de João Pinto no Verão de 2000. O emblema de Alvalade anunciou num comunicado que negociou directamente com o jogador o pagamento de 4 milhões de euros de prémio de assinatura, o que iliba José Veiga dos crimes de burla agravada e infelidade de negócio por que está indiciado. Neste sentido o ex-director geral da Luz alega que a sua honra e prestígio foram ofendidos com a detenção, pretendendo uma indemnização do Estado. Em preparação está igualmente o seu regresso ao Benfica.


Com o cenário actual o processo de investigação resume-se a um eventual crime de fraude fiscal, sendo que só ao Sporting ou a João Pinto poderá ser imputado. Veiga deverá assim solicitar a revogação das medidas de coacção de Termo de Identidade e Residência e de apreensão de passaporte, abrindo-se-lhe o caminho para o regresso à Luz.
Entretanto o Público nota que o Sporting «revogou o aditamento ao contrato de João Pinto cinco anos depois de o ter assinado». A publicação apurou que «a acta de revogação está datada de 2005, altura em que o jogador reclamou junto de Alvalade o pagamento da última prestação» do Prémio de Assinatura de 4 milhões de euros e que era da ordem dos 800 mil euros. Como os leões se recusariam a saldar a dívida, o jogador terá ameaçado accionar o aditamento ao contrato, o que levou o emblema de Alvalade a pagar o valor devido e a revogar o tal aditamento.

Foto: Agência Lusa

Notícias: Benfica