Bruno deu-se ao ridículo!

Bruno de Carvalho ainda não entendeu o que significa ser presidente de um grande clube português.

A ida de Bruno de Carvalho a um programa de entretenimento puro, em que quanto mais polémica, mais agressões verbais, mais altercações entre os seus participantes, mais promessas de agressões físicas existirem, maior será a audiência, foi algo de surreal, inédito, e ridículo em vário níveis.

Primeiro: Um presidente só pode discutir com presidentes, caso contrário está a desprestigiar o clube a que preside. Presidentes dão entrevistas, as mais honestas, com o contraditório dum jornalista com capacidade para o fazer através das suas perguntas seguintes, não debatem na praça pública com funcionários menores de clubes adversários.

Segundo: De todos os programas que ele poderia escolher do género, não poderia ter feito pior opção, indo a um a programa que tem no seu painel alguém como Pedro Guerra. É que o pior que se pode fazer a alguém como Pedro Guerra é deixá-lo a falar sozinho, deixar que as suas próprias palavras e comportamentos o ridicularizem, e assim ridicularizem o clube que representa, e no qual trabalha. E se me permitem a opinião, e que bem que ele o tem feito. O melhor que lhe podem fazer é dar-lhe importância. Bruno de Carvalho deu-lhe isso, deu-lhe importância presidencial.

Terceiro: A coisa, não se ficou pelo debate, notou-se claramente que o propósito de Bruno de Carvalho era mesmo humilhar Pedro Guerra. Então, um presidente dum clube, trazer "papeizinhos" para insultar um comentador?!?!?! Foi mau demais para ser verdade.

Quarto: Se ele fosse um comentador qualquer, e não o presidente do Sporting, diria que ele teria ganho este programa de entretenimento, foi explosivo, deu audiências, divertiu o povo, e mais, que entre o deve e o haver, conseguiu humilhar o seu adversário. Como ele é Presidente do Sporting, conseguiu fazer aquilo que parecia impossível, validar o comportamento ridículo de Pedro Guerra, com o seu comportamento presidencial, por isso, foi uma grande vitória para Pedro Guerra.

Quinto: As suas palavras, o menos desta entrevista, não revelaram nada que já não se soubesse, a não ser a sua acusação sem fundamento, e essa não fica nada bem a um presidente. Ele pode lançar a suspeita, pode até ter razão, mas dar como prova algo que lhe disseram, bem... lembra um seu funcionário, e todos nós sabemos o quanto nos rimos ainda hoje com o célebre: "vocês sabem do que é que eu estou a falar".

Em conclusão, ficamos a saber as empresas que Bruno de Carvalho geriu sem sucesso, ficamos a saber que Bruno de Carvalho perde tempo a saber da vida dum mero comentador benfiquista, ficamos a saber que Bruno de Carvalho vê atentamente este tipo de programas, ficamos a saber que Bruno de Carvalho acha normal baixar-se a ir a um programa deste género, e no final, ficamos a saber que Bruno de Carvalho ainda não entendeu o que significa ser presidente de um grande clube português.

PS: Uma palavra para Pedro Guerra. É do melhor que há como comentador, pelo menos, para os não benfiquistas, ridiculariza o clube para o qual trabalha em todos os programas com o seu comportamento. Aquela forma dele pensar, que se não deixar falar ninguém faz dele um grande comentador, é fenomenal, em termos de entretenimento é do melhor que existe. Passei a ver o programa por causa dele, e sendo eu portista, só poderia sofrer de vergonha alheia, mas como é o Benfica, nem isso tenho... :)