Porque deixou Cristiano Ronaldo o Real Madrid?

Cristiano não alterou apenas a sua carreira, mas o rumo de todo o futebol mundial.

No dia 10 de julho de 2018, uma terça-feira, o mundo do futebol recebeu uma notícia impactante: “Cristiano Ronaldo não é mais jogador do Real Madrid e transfere-se para a Juventus”. O craque de 33 anos, há nove no emblema merengue, decidiu procurar mais desafios noutro país, agora vestindo a camisola de uma das equipas mais tradicionais de Itália.

Ronaldo deixa marcas grandiosas no Real Madrid, além da quebra de inúmeros recordes. Sai de Espanha com cinco prémios de melhor jogador do mundo na mala - quatro conquistados enquanto defendeu o Real –, 451 golos marcados em 438 jogos - média de mais de um tento por partida -, além de colecionar pelos merengues quatro Ligas dos Campeões, três mundiais de clubes, dois campeonatos espanhóis e duas Copas do Rei.

Em entrevista há algumas semanas atrás, após vencer a Champions League, Cristiano mostrou-se satisfeito pelo que já havia feito. "O importante era ganhar e entrar na História. É hora de aproveitar o momento. Foi muito bonito estar no Real Madrid", disse o craque.

Pela segunda vez, também como melhor do mundo, Ronaldo muda de trajetória, de país e de objetivos. Fez isso quando atuava pelo Manchester United; tinha sido eleito em 2008 o melhor jogador do mundo, já possuía uma Liga dos Campeões na bagagem, o carinho dos adeptos, e decidiu que era o momento de rumar a Espanha para defender o maior clube de Madrid, que não passava dos oitavos de final da Lifa dos Campeões há algumas temporadas. Desta vez, bem mais maduro, Cristiano vai a Itália para ganhar a “Orelhuda” com a Vecchia Signora. 

Neste momento, muitos se questionam: “Porque deixou Cristiano Ronaldo o Real Madrid? Poderia muito bem continuar a vencer por lá.” A resposta, para quem conhece Cristiano, não é nem um pouco enigmática: Ronaldo sai à procura de continuar a ser relevante, de ficar ainda maior do que já é.

O português percebeu que o atual ciclo do Real Madrid está prestes a acabar. Sinal disso é a saída do treinador Zinedine Zidane - que conquistou três Ligas dos Campeões de forma consecutiva - e as frequentes indicações do presidente Florentino Pérez em fazer uma renovação no plantel.

Além de um excelente salário, claro, Cristiano Ronaldo atuará na Juventus com foco na Liga dos Campeões. Isso porque tanto a Copa da Itália como o Calcio provavelmente já seriam vencidos pelo clube de Turim mesmo sem a presença do avançado português. Caso conquiste a Champions com o clube italiano, Ronaldo finca o seu nome no rol dos imortais. Mostra que não suporta o comodismo, e que os desafios para ele são apenas oportunidades para ganhar títulos.

A transferência já causa fervor no mercado italiano. As ações da Juventus na bolsa de valores mostram resultados, o número de camisolas vendidas com o número sete nas costas disparou, e as receitas de televisão provavelmente tornar-se-ão mais elevadas. Cristiano, ao mudar de casa e de clube, não mexe apenas na sua carreira, mas no rumo de todo o futebol mundial. Ronaldo é um homem sedento por desafios.