Amândio de Carvalho surpreso com decisão sobre o apito dourado

Vice-presidente da FPF não esperava decisão do Tribunal Central Administrativo e não se quis pronunc

O vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Amândio de Carvalho, confessa que não esperava a decisão do Tribunal Central Administrativo em declarar inexistente a deliberação do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol sobre o processo Apito Dourado.

Em causa estão os dois anos de suspensão que foram aplicados a Pinto da Costa, bem como a subtração de seis pontos ao FC Porto, e ainda a descida de divisão do Boavista e os quatro anos de punição ao antigo presidente da SAD do clube, João Loureiro.

"Diria que, de certa maneira, sim, estou surpreendido. Se a Federação não tivesse bases legais e fundamentais para tomar as atitudes que tomou, teria estado sossegada e tinha deixado correr a situação tal e qual como ela podia correr", defendeu.

Amândio Carvalho não quis pronunciar-se a propósito de eventuais indemnizações da FPF a Boavista e FC Porto. "Isso é uma questão do Gabinete Jurídico da FPF.

 

 

Notícias: Diversos