A nova interpretação da lei do fora de jogo

Árbitro Jorge Sousa fala sobre a "intervenção muito mais direta" do jogador em causa.

A lei do fora de jogo não mudou, mas há uma nova interpretação sobre quando deve ser, ou não, assinalada posição irregular a um jogador.

Os árbitros em Portugal têm conversado com responsáveis dos clubes que militam na I Liga e na II Liga e Jorge Sousa falou sobre o assunto, em entrevista à Antena 1.

"Agora um jogador para ser punido terá de ter uma intervenção muito mais direta na jogada do que tinha até agora. Estar fora de jogo por si só não era motivo de punição, agora para ser punido será ainda mais restritiva essa punição. Só será fora de jogo quando o jogador intervém diretamente na jogada ou influencia o adversário", esclareceu Jorge Sousa.

O texto novo - A alteração começou a ser aplicada no dia 1 de julho e, na prática, a partir de agora só será assinalado fora de jogo quando um atleta interfere diretamente na jogada em causa, mesmo que seja apenas em relação a um adversário que iria disputar a bola.

A nova lei refere que, em vez dos "gestos que podiam ser fator de engano ou diversão" - tal como se lia no texto anterior - o fora de jogo será assinalado quando um jogador impede um adversário de disputar a bola, "obstruindo claramente o seu campo de visão ou disputando a bola".

Ou seja, quando a posição irregular for assinalada, o jogador em causa terá uma interferência física na jogada e terá de estar, no máximo, a um metro ou um metro e meio da bola.

Notícias: Diversos