Estranho negócio de Roberto Jiménez Gago

Mais um caso de transparência encarnada... Mais um...

Como é público, no Verão de 2011, o guarda-redes titular do Benfica após uma época catastrófica, foi vendido a um misterioso fundo designada Zaragoza Sport Arena XXI, sendo propriedade de Agapito Iglesias.

Assim, a troco de 8,6 milhões de euros os encarnados cederam os direitos desportivos e económicos do guarda-redes espanhol através de dois contratos: um com a SAD do Saragoça, que pagou 86 mil euros, e outro com a sociedade que é acionista maioritária da SAD do Saragoça, que desembolsou o restante valor em causa – 8,5 milhões de euros.

Como a nossa comunicação social é oculta (e muito!) quando o assunto é Benfica, foram publicadas notícias, enfatizando o papel de bom negociador do Presidente benfiquista, não indo ao cerne da questão, como é conseguiram o surpreendente lucro de 100 mil euros após um campeonato entregue à 3ª jornada.

Agora soube-se que os direitos desportivos de Roberto ainda pertenciam ao Benfica e não ao misterioso fundo, e esses direitos devem valer muito dinheiro, pois o Atlético Madrid aceitou ficar com eles a troco de Pizzi e 50% de uma mais valia, caso seja vendido por valores superiores aos agora acertados. Entretanto, Roberto Jiménez Gago foi emprestado ao Olympiakos.

Mais um caso de transparência encarnada... Mais um...