Domingos: "O que dá mais trabalho é manter este nível"

O treinador do Sporting considerou fundamental o segundo golo, rumo à goleada sobre o Gil Vicente.

Domingos Paciência considerou fundamental o segundo golo, rumo à goleada sobre o Gil Vicente por 6-1.

"Na primeira parte o jogo não foi tão intenso como gostaria, mas com o cansaço era normal. Na segunda parte a equipa soltou-se mais, conseguiu o segundo golo e a partir daí embalou para uma goleada justa", analisou o treinador do Sporting.

Após nove vitórias consecutivas, o técnico considera que "o que dá mais trabalho é manter estes níveis de motivação e confiança. Vamos tentar que isto aconteça sempre, os jogadores têm merecido o que está a acontecer mas temos agora uma maior responsabilidade".

Domingos comentou ainda o facto do Sporting ter tido a seu favor a primeira grande penalidade desta temporada, salientando que a sua equipa é aquela que sofre mais faltas, "o que revela uma boa posse de bola", e a diferença de golos favorável em 16-2 nos últimos jogos, sinónimo de "consistência defensiva e ofensiva", analisou.

O Sporting jogou desta vez a uma segunda-feira, algo raro, mas ficou provado que há um "ambiente diferente", que pode "ser feliz e os adeptos provaram" isso, comentou Domingos.

E agora o Sporting já é um candidato ao título? "Não. Podemos viver momentos bons como de hoje, trabalhando passo a passo. Se mantivermos este nível, poderemos andar pelos lugares da frente e lutar com os nossos rivais. É só isso que posso prometer", respondeu o treinador.

Paulo Alves: "A pior derrota da minha carreira"

Do outro lado, o treinador do Gil considerou que a sua equipa "foi controlando" o jogo até ao segundo golo do Sporting.

"Não é fácil jogar nesta altura em Alvalade, mas estava longe de imaginar que iríamos ser goleados desta forma. A parte positiva é que foram só três pontos, mas tal como alguém (Alex Ferguson) disse esta semana, foi a pior derrota da minha carreira", comentou Paulo Alves.

O técnico analisou o jogo, comentando que o Gil Vicente "não se conseguiu encontrar. Tentámos retardar o primeiro golo do Sporting mas depois do penálti a equipa ficou desolada e não conseguiu reagir. Os golos foram surgindo naturalmente", admitiu.

"Agora vamos reagir rapidamente e estou certo que na quinta-feira (na Taça da Liga, contra o Belenenses) vamos já dar uma resposta positiva", finalizou o treinador.

Notícias: Gilvicente