A Liga do “terceiro mundo”

Cisão em Espanha! 13 clubes querem fazer greve na próxima jornada, mas 6 equipas impugnaram a decisã

Abriu-se uma clivagem no seio do futebol espanhol e o motivo é simples: as dívidas dos clubes ao fisco e a crise que o país atravessa tornam essencial um maior encaixe financeiro.

E onde podem os clubes ir buscar mais dinheiro? As reivindicações dirigidas ao Estado baseiam-se no fim da obrigatoriedade de que se transmita em sinal aberto um encontro por jornada – o que resultaria em mais um jogo a ser negociado com os operadores - e em alterar a lei das apostas, sobre as quais os clubes pretendem aumentar a sua fatia.

Real Madrid, Barcelona e outras onze equipas acreditam que com estas medidas haverá mais dinheiro a ser distribuído. E porque querem os clubes mais dinheiro? Uma das respostas, não a única, passa pelas dívidas das equipas de futebol ao fisco, que ascendem aos 694 milhões de euros, e como relembra o secretário de Estado do Desporto, Jaime Lissavetzky, “ainda faltam saber os números da Segurança Social”.

Seis rebeldes impugnam a greve

Há, no entanto, quem não esteja ao lado da Liga Profissional em todo este processo. Excluindo o indeciso Málaga, Villarreal, Real Sociedad, Atlético de Bilbau, Saragoça, Espanhol e Sevilha não querem que a jornada 29 seja adiada e por isso fizeram chegar a um Tribunal de Madrid um pedido de impugnação da paralização, tendo avisado que esta quinta-feira vão pedir dia, hora e árbitro para cumprirem os seus compromissos desportivos.

“Temos uma Liga do terceiro mundo. É vergonhoso que Espanha tenha o campeonato que reparte os direitos televisivos de forma mais desigual no panorama europeu”, acusou José Maria Del Nido, presidente do Sevilha.

O sempre polémico representante dos andaluzes explicou ainda que, em vez de se parar o campeonato, devia proceder-se a uma “maior e melhor distribuição dos direitos televisivos, para que não ganhem mais os de sempre e menos os de sempre”. Del Nido justificou que recusa uma greve que vai fazer com que entre mais dinheiro no futebol, o que vai provocar que “Real Madrid e Barcelona ganhem mais e cada vez seja maior a diferença entre eles e os demais”.

Real e Barça cobram 11 vezes mais

É fácil compreender a indignação de Del Nido quando olhamos aos números da época 2009/2010 e constatamos que os dois maiores clubes espanhóis receberam 140 milhões de euros pelos direitos do campeonato, enquanto os últimos quatro classificados apenas levaram para casa 12 milhões de euros.

A diferença é insultuosa para os restantes clubes e ajuda a explicar as diferenças pontuais dos campeonatos mais recentes. Na época passada o Barcelona foi campeão com 99 pontos, batendo o Real Madrid que somou apenas 96. Em quarto lugar, mas ainda em lugar de acesso à Liga dos Campeões, ficou  ficou o Sevilha com menos 36 pontos do que o Barça!

Preocupante é que esta seja uma tendência antiga, senão olhemos aos últimos 25 anos: 11 títulos para o Real Madrid, 10 para o Barcelona e quatro a serem distribuídos por Valência (2), Atlético de Madrid e Deportivo.

Comparando com o caso inglês, tido como o mais democrático, verifica-se uma assimetria menor entre primeiro e último. Pela participação na Premier League de 2008/2009 o campeão Manchester United recebeu 58,2 milhões de euros, enquanto o lanterna vermelha West Brom encaixou 35,1.

Notícias: Internacional