Benfica 1-1 Basileia: Adormecer à sombra de um golaço de Rodrigo!

Remate espetacular do avançado e nervosismo de Luís Martins entorpeceram as águias. Oitavos da Champ

O Benfica entrou muito forte no jogo, a pressionar o adversário com toda a força e logo aos 25 segundos Rodrigo deixava a primeira ameaça com um remate que o guarda-redes Sommer desviou das sua redes. Aos 4 minutos o novo avançado sensação das águias inaugurava mesmo o marcador com um remate espetacular, no seguimento de um mau alívio da defesa helvética.

Um grande golo do jovem que Jorge Jesus preferiu no onze inicial ao veterano Cardozo, mantendo a aposta feita na partida da Liga contra o Olhanense.

Nos primeiros 20 minutos da partida, a equipa portuguesa manteve uma preponderância que não conseguiu consolidar em golos, não aproveitando as debilidades dos centrais do Basileia. Depois os encarnados adormeceram à sombra de uma vantagem demasiado perigosa.

O Basileia, que se apresentava sem o capitão Marco Streller, com problemas físicos, e sem Alexander Frei, o grande goleador da equipa, foi crescendo, com Shaqiri a tirar partido do nervosismo do estreante Luís Martins. O lateral de 19 anos foi a grande surpresa no onze de Jorge Jesus, fazendo assim a sua estreia absoluta ao serviço das águias.

E foram demasiados holofotes para um miúdo com idade de júnior! Fábio Coentrão há só um, fica o aviso ao treinador que na antevisão da partida comparou Luís Martins ao atual jogador do Real Madrid.


Matic, que substituiu o lesionado Javi García com uma exibição sólida, ainda foi recuando para perto dos centrais para compensar as debilidades do imberbe lateral. Mas estava visto que a aposta de Jesus não tinha singrado e aos 64 minutos Luís Martins saiu, debaixo de uma grande salva de palmas compreensiva, para dar lugar a Miguel Vítor.

Foi no seguimento da substituição, com Miguel Vítor ainda a frio e o resto da defesa encarnada desconcentrada, que o Basileia chegou ao empate com um remate de Huggel aos 64 minutos.

Em campo ia-se percebendo que Aimar e Witsel, habituais pilares do Benfica, estavam em dia não. Os dois jogadores estiveram longe das exibições que os tornam tão influentes na estratégia das águias.

No final do jogo a estatística de posse de bola revelava 55 por cento para o Basileia contra 45 por cento para o Benfica, o que, em pleno Inferno da Luz, é assinalável e revelador do que se passou em campo. Na segunda metade, os helvéticos estiveram perto de fazer o 2-1 por um par de vezes, com Artur, primeiro, e Luisão, depois, a salvarem a equipa lusa da derrota frente a Zoua.

Depois de uma entrada em bom nível, os encarnados esqueceram-se porventura que este Basileia foi a Old Trafford empatar a três bolas e deixaram escapar a oportunidade de se qualificarem desde logo para os oitavos-de-final da Champions League. Um apuramento que no imediato constituiria um feito histórico para as águias que nunca se apuraram tão cedo para a próxima fase da prova.

No fim do jogo, e depois de um arranque tão prometedor, os adeptos benfiquistas assobiaram a equipa enquanto os jogadores suíços festejavam o ponto conquistado no relvado. Estes helvéticos por quem ninguém dava nada continuam na corrida na Liga Milionária e o Benfica ainda tem pela frente o Manchester United.

 

Notícias: Liga dos Campeões