Goleador do Tottenham pode sair para ir à tropa

Son Heung-min decisivo na Liga dos Campeões. Mas a questão militar voltou a ser levantada.

Não é uma obrigação imediata mas Son Heung-min, herói do Tottenham na fase inicial desta época, terá de cumprir serviço militar. Tal como todos os sul-coreanos, até aos 28 anos. O jogador tem 24 anos, ainda.

Com cinco golos em cinco jogos oficiais, o avançado voltou a ser herói da turma inglesa, desta vez na Liga dos Campeões. Na noite passada marcou o único golo do triunfo do Tottenham frente ao CSKA Moscovo.

No final do encontro o jovem da Coreia do Sul falou sobre a desilusão nos Jogos Olímpicos 2016, onde a sua seleção não chegou ao pódio: "Fiquei muito aborrecido, estava mesmo em baixo. Já pensava nos Jogos Olímpicos seis meses antes do início do torneio no Brasil. Mas depois da eliminação, pensei: tenho que me focar na nova época".

Nesse contexto surgiu a pergunta de um jornalista: como está a situação em relação ao serviço militar obrigatório? Aí falou o diretor de comunicação do Tottenham, que disse que seria injusto e complicado para Son explicar o processo em inglês.

As exceções - Só atletas com uma medalha olímpica, ou com um título nos Jogos Asiáticos, podem escapar "à tropa".

Curiosamente, em 2014 o Bayer Leverkusen - onde o avançado jogava - recusou a cedência do jogador para os Jogos Asiáticos; nesse torneio a Coreia do Sul conseguiu a medalha de ouro. Mas como Son não jogou...

Notícias: Liga dos Campeões