Hulk desbloqueou e FC Porto continua europeu

O brasileiro inaugurou o marcador e foi fundamental no segundo golo em Donetsk. Campeão nacional con

O FC Porto conseguiu esta noite uma vitória suada, com alguma sorte pelo meio, contra o Shakhtar Donetsk por 2-0 e continua na luta por um lugar na próxima fase da Liga dos Campeões.

Vítor Pereira voltou a mexer no onze inicial. Maicon manteve-se na posição de lateral-direito, Fucile ficou no banco; Djalma foi a principal novidade, relegando Kléber para a lista de suplentes.

Luiz Adriano deu o sinal do que iria ser, no global, a primeira parte logo aos 10 segundos, quando esteve perto de marcar, mas Helton defendeu bem. Aos cinco minutos, Hulk primeiro e Djalma na recarga também podiam ter inaugurado o marcador, mas a defesa ucraniana resolveu.

A partir daí, o Shakhtar foi a equipa mais perigosa. Parecia ter mais vontade, mais esclarecimento, aproveitando também o facto da defesa portista dar muitos espaços.

Ficha do jogo:

Luiz Adriano esteve novamente perto do golo ao minuto 18', ao enviar a bola ao poste, numa jogada em que ficou por mostrar um cartão a Rolando, e talvez o vermelho, já que o defesa tentou travar o brasileiro quando este ia isolado para a baliza.

Na segunda metade deste primeiro tempo o FC Porto melhorou um pouco ofensivamente, mas na defesa a turma lusa continuava a conceder várias oportunidades ao adversário. Num desses momentos, Kucher ficou a centímetros de inaugurar o marcador num pontapé acrobático. Antes Defour tentou de longe o golo e Rybka afastou.

Lá na frente, o FC Porto pouco fazia. Hulk era o jogador que mais corria e tentava desequilibrar, mas quando queria cruzar... não via qualquer colega na área, na maioria das jogadas. O nulo manteve-se até ao intervalo, mas o sinal mais era para os locais.

Aborrecimento... até Hulk despertar

Se é verdade que na segunda parte o Shakhtar deixou de criar perigo, o FC Porto também não incomodava a defesa contrária, apesar de controlar a partida.

A primeira jogada de perigo surgiu apenas a 20 minutos do final, num remate de Hulk, num jogo que se arrastava sem grandes motivos de interesse e sem grande espetáculo, mas "acordou" nesta fase.

Logo a seguir, Fernandinho assustou os adeptos portistas com nova bola ao poste, depois de uma defesa complicada de Helton, mas seria mesmo o FC Porto a marcar.

Minuto 78', passe muito bem conseguido de João Moutinho, Hulk apareceu isolado e de pé direito inaugurou o marcador. Uma festa que poderia ter sido curta, pois no minuto seguinte Alvaro cortou uma jogada na qual Mkhitaryan seguia sem oposição para o empate. Novo momento de alguma fortuna para os portistas.

Os ucranianos não conseguiram reagir depois disso, mostrando ser uma equipa desmotivada e sem ideias - e forças. Em cima do minuto 90', Hulk voltou a criar do nada um lance de perigo (ele que até se tinha lesionado no tornozelo nos minutos iniciais, mas resistiu), a bola sobrou para o lado direito, Maicon rematou e Rat marcou na própria baliza.

Agora as contas são fáceis: o FC Porto vai continuar, de certeza, na Europa, e se ganhar em casa ao Zenit na última jornada, independentemente da diferença no marcador, vai estar nos oitavos de final da Liga dos Campeões. Se empatar ou perder, segue para a Liga Europa.

Vítor Pereira festejou efusivamente, sobretudo no primeiro golo. E por dentro deveria estar a suspirar de satisfação e alívio.

Notícias: Liga dos Campeões