Manchester City-Sporting: Coração de leão!

Leões nos "quartos" da Liga Europa com primeira parte de luxo e segunda de sofrimento. A derrota por

O Sporting está nos quartos-de-final da Liga Europa depois da derrota mais saborosa! A equipa portuguesa foi a Manchester perder com o City por 3-2, mas após ter ganho em Alvalade por 1-0, segue em frente com vantagem nos golos marcados fora.

Os leões entraram melhor no jogo, sem receios do poderoso adversário, e apresentando uma organização defensiva irrepreensível. Na primeira parte os "citizens" praticamente não tiveram oportunidades de golo, revelando no cardápio pessoal como lance mais perigoso um remate de Adam Johnson ao lado, após cruzamento de David Silva na esquerda e uma falha de Pereirinha.

Terá sido o único lance em que a ausência de João Pereira, castigado, terá sido recordada. De resto, ninguém dava pela sua falta e Polga fazia também esquecer Onyew, lesionado.


O primeiro lance ofensivo de verdadeira ameaça no encontro foi do Sporting, aos 8 minutos, com Xandão a cabecear a bola para perto da baliza de Joe Hart, no seguimento de um canto marcado por Matías Fernández. O central brasileiro, que marcou o golo do triunfo em Alvalade, na primeira-mão, de calcanhar, continuava a querer brilhar.

Mas a grande figura dos leões era um senhor Matías que dava bem que fazer aos ingleses. Aos 26 minutos o chileno endiabrado caía na grande área dos de Manchester, mas o árbitro marcou simulação e deu-lhe o cartão amarelo. Fica a ideia de que Pizarro lhe tocou contudo, o aparato da queda terá motivado a interpretação de teatro do homem do apito.


"Determinação, humildade e rigor tático", foi a fórmula que Godinho Lopes, o presidente do Sporting, deu para o jogo. Em campo os pupilos de Ricardo Sá Pinto davam mostras de terem estudado perfeitamente a lição e nas bancadas ouviam-se os adeptos verde e brancos, sinal da noite boa da equipa leonina.

Mais se ouviriam as vozes dos portugueses aos 33 minutos quando Matías Fernández inaugurava o marcador com um grande golo, marcado de livre direto. O "enfant terrible" Mario Balotelli cometeu a falta sobre o chileno que originou o lance.

Ainda antes do intervalo a formação lusa ampliava o marcador, colocando-se com uma vantagem de 3-0 na eliminatória. Wolfswinkel atirava para o fundo das redes, aos 40 minutos, depois de um passe matemático de Izmailov.

Era um Sporting seguro e personalizado que se exibia no Estádio onde o Manchester City goleou o FC Porto por 4-0 na eliminatória anterior da Liga Europa.

Depois do intervalo, a equipa portuguesa começou demasiado cedo a defender a vantagem confortável perante um City que se via obrigado a um esforço maior. Aos 55 minutos o treinador Roberto Mancini atirava para o relvado Dzeko, mas seria dos pés de Sérgio Aguero que surgiria o primeiro golo dos "citizens" no encontro. Aos 60 minutos, o genro de Maradona dava esperança aos da casa.

No banco do Sporting, Sá Pinto mudava a estratégia e tirava de jogo Capel e Matías, colocando em campo Jeffrén e Renato Neto. E o jogador que regressou em janeiro de empréstimo ao Brugge seria decisivo na segunda parte, mas pela negativa, marcando a falta sobre Aguero que originou o penalti contra os leões. Aos 75 minutos, Mário Balotelli empatava o jogo marcando com destreza a grande penalidade tão benevolamente oferecida.

O 3-2 seria apontado por "Kun Aguero" aos 83 minutos, depois de um lance de bola parada. O argentino colocava o City na frente do marcador, mas a vantagem na eliminatória era dos leões.

Os últimos minutos do encontro foram de nervos à flor da pele e ganharam os de coração de leão! O Sporting sofreu a bom sofrer, mas resistiu. O guarda-redes Joe Hart quase desfazia o sonho quando, já depois dos 90, subiu à área de Rui Patrício, e foi o guardião leonino quem salvou os "quartos", com um desvio precioso. A sorte anda a par dos audazes e os homens de Sá Pinto fizeram por merecê-la!

 

 

Notícias: Liga Europa