Atraso no FC Porto-Marítimo investigado

Liga de Clubes deverá averiguar se houve “dolo” dos Dragões. Sporting pondera queixa autónoma.

O atraso com que começou o jogo entre FC Porto e Marítimo no passado sábado, deverá ser investigado pela Liga de Clubes. Ao mesmo tempo, o Sporting está a ponderar uma queixa formal.

Recorde-se que FC Porto e Sporting deveriam ter jogado à mesma hora, uma vez que estava em causa a classificação do Grupo B da prova. Mas o jogo no Dragão iniciou-se quase três minutos mais tarde, tendo o golo decisivo de Josué sido apontado já depois de ter terminado o encontro do Sporting em Penafiel. Uma situação que provocou uma enorme onda de críticas entre os leões, com o presidente Bruno de Carvalho à cabeça.

O jornal O Jogo escreve esta segunda-feira que o gabinete jurídico do Sporting está a analisar o sucedido, para decidir se apresenta uma queixa formal a contestar formalmente a classificação do grupo e a qualificação do FC Porto para as meias-finais da Taça da Liga.

José Manuel Meirim, especialista em direito desportivo contactado pelo jornal, afirmou que a queixa do Sporting não deve ser necessária, uma vez que a própria Liga deverá investigar por iniciativa própria. Mas provar eventual dolo por parte do FC Porto “não deve ser fácil”.

“O Sporting poderá tentar apresentar uma queixa disciplinar à Comissão de Instrução de Inquéritos da Liga, mas pelo impacto da situação creio que a própria Liga deverá abrir esse inquérito, para apurar eventuais indícios de infração, dos quais não deve ser fácil fazer prova. A infração disciplinar por atraso há, ponto final. Se foi feito dolosamente para prejudicar terceiros, a pena será a multa e a derrota. Vai depender dos relatórios do delegado da Liga e do árbitro, peça importante”, explicou.

Notícias: Porto