A cultura do ódio

Um dos motivos para o rápido crescimento do número de adeptos do FC Porto centra-se no facto de Pinto da Costa tentar ligar cidades, regiões ou outros assuntos que nada têm a ver com o futebol, como desculpa do mal de muita gente, fora do campo. Dentro de campo uma cultura de medo, ódio, violência e carta branca por parte dos árbitros para fazer tudo, deu-lhe os sucessos desportivos.Somando as duas coisas temos um FC Porto de há 20 anos que era um clube pouco melhor que o Belenenses para um clube que hoje em dia já encurtou a distância em palmarés para os seus dois rivais. Infelizmente muita gente caiu nesta esparrela, o que fez o FC Porto crescer.Pinto da Costa, sem saber, utilizou algumas das formas de marketing mais astutas para aumentar os simpatizantes, chegando até a apoiar candidatos políticos (só mesmo em Portugal!). O problema é que esta estratégia também limitará o Porto.Se ganhou muitos simpatizantes na cidade do Porto, fez com que abaixo do Douro alguém que seja adepto do Porto seja considerado parvo ou maluco. Embora já existam ilusões por parte de alguns adeptos portistas de que a Sul têm vindo a crescer, a verdade é que em cada 1000 pessoas, se houver um do FC Porto, já é extraordinário!Enquanto clubes como o Benfica ou o Sporting sempre se assumiram como clubes nacionais, o Porto será sempre um clube meramente regional (pelo menos até esta cultura desaparecer). Não passará de um Valência por contraste a um Real Madrid ou Barcelona. Não passará de uma Lázio em contraste com uma Juventus ou um Milão.Paladino da amizade

Notícias: Porto