O Dragão quase ia abaixo: Rui Pedro marcou, o FC Porto marcou!

Foi preciso esperar pelo período de compensação da segunda parte. Sp. Braga derrotado.

O FC Porto quebrou o recorde negativo: ia ser o quinto jogo consecutivo sem marcar golos, foram mais de 500 minutos sem celebrar. Desta vez diante do Sporting de Braga, em casa. E nem uma grande penalidade parecia mudar o rumo no Dragão. Até que, ao minuto 94', o quase anónimo Rui Pedro marcou e o Estádio do Dragão quase foi abaixo. São agora 25 pontos para os portistas, 23 para os minhotos. E menos quatro do que o Benfica.

A fase inicial da partida foi marcada pelo pouco espaço. O FC Porto queria estar perto da baliza mas o adversário fechava-se bem. A partir dos 20 minutos começou a já habitual série de oportunidades desperdiçadas: Diogo Jota e Óliver não acertaram no alvo; André Silva ia acertar mas Marafona evitou o golo. Aos 35 minutos a maioria dos adeptos pensou que o jejum ia acabar - falta de Artur Jorge, que foi expulso, grande penalidade e André Silva... não marcou. Marafona defendeu. Ainda na primeira parte, mais um episódio do mesmo: Felipe acertou no poste e, no ressalto, Marafona ainda evitou o 1-0.

Com 11 contra 10, o FC Porto lá voltou a tentar. Muitas vezes ao longo do segundo tempo. Primeiro Brahimi, depois golo anulado a Diogo Jota. André Silva cabeceou e Brahimi rematou duas vezes na mesma jogada, Maxi também tentou; qual foi o obstáculo, nos quatro momentos? Marafona. A um quarto de hora do final, Layún sai e eis que entra Rui Pedro. 18 anos, júnior do FC Porto, já tinha jogado na Taça da Liga mas esta foi a sua estreia no campeonato. Aos 94' (após novas tentativas frustradas de André Silva e de Brahimi), foi mesmo Rui Pedro a fazer o que os outros não fizeram, aproveitando grande assistência de Diogo Jota. Foi o "fim do mundo" nas bancadas.

Notícias: Porto