Especialidade vs Polivalência

O Maradona e o Pelé foram os melhores do mundo de todos os tempos, acho que isto é
consensual, até para aqueles que nunca os viram jogar. Com base nessa consensualidade
proponho-vos um exercício: imaginem que naqueles tempos também havia treinadores
teimosos, orgulhosos e "turrões" que resolviam pôr o Maradona a jogar a defesa lateral
e o Pelé a jogar a trinco... Aproveitem o lanço e imaginem o CR9 a médio de
transição e o Messi a defesa central... O que acham? Era ridículo esperar que as
suas carreiras fossem as mesmas, se jogassem nessas posições não? Quer por circunstâncias
e/ou características físicas, técnicas, tácticas, mentais ou inatas, não se auguraria
grande futuro para os maiores craques do futebol de sempre... Antigos e modernos!Agora passemos ao universo portista... Porquê pôr um 10 a 8? Porquê pôr um 11 a 9?
Porquê pôr um 8 em todo o lado??? Trocando por miúdos... PARA QUÊ INVENTAR? É sempre bom
ter jogadores polivalentes num plantel porque o futebol é um desporto onde o
inesperado acontece com frequência, mas a especialidade é a sua essência e até hoje os
grandes craques foram sempre especialistas, cada um no seu ramo a fazer o que cada um faz
melhor: o Yashin defendia, o Beckenbauer cortava, o Zidane construía,
O Guardiola passava e o Van Basten finalizava... Claro como a água!Rebobinando para o universo portista... Porque se pede ao Belluschi para vir buscar
jogo se não é um jogador resistente; para cortar bolas, se não defende bem; e para pautar
e temporizar o jogo, se só olha para a frente e se é fraco no choque? E se tem uma
qualidade de passe e de remate, se tem uma técnica primorosa e se nunca tira os olhos da
baliza nem dos companheiros melhor colocados... como um verdadeiro 10? Porque é que se pede ao Hulk que fique fixo na área se não tem nem experiência, nem
faro de golo de ponta-de-lança, se não sabe jogar de cabeça e se não sabe jogar de costas
para a baliza... E se tem uma força, uma velocidade e uma técnica de tal forma avassaladoras
que a jogar em zonas com mais espaço do que o meio (como por exemplo... a LINHA), funciona
como um verdadeiro abre-latas de nível mundial... Como um auntêntico 11?Tomás Costa NUNCA comprometeu a equipa, é um jogador com uma abnegação, uma raça e
pulmão inacreditáveis; dá sempre tudo o que tem e o que não tem em campo, fazendo dele um
jogador à Porto... E o que merece? Ausência da convocatória quando lá mora por
exemplo o Freddy Guarín... Roça o caricato! O Tomás enche o campo quando joga... É
razoavelmente rápido, é alto, é forte, apoia muito bem o sector defensivo, remata bem e
passa melhor, marca bem cantos e livres indirectos e tudo isto se viu quando jogou em todo
o lado, menos na sua posição! Com mais entrosamento, mais confiança, mais desenvoltura e
a jogar a 8 ou a médio de transição, que são as suas posições, será que pioraria?Um cidadão preocupado...Cumps,
M16

Notícias: Porto