FC Porto 2011/12 vs FC Porto 2010/11

Estou preocupado porque o balanço que faço do Porto de Vítor Pereira é francamente negativo...

Sou portista. Não sou, por norma, um adepto anti-treinadores e já aqui defendi muitas vezes que os treinadores devem ter tempo e tranquilidade para desenvolverem o seu trabalho mas, como portista, estou preocupado porque o balanço que faço do Porto de Vítor Pereira, tendo em comparação o Porto de André Villas-Boas, é francamente negativo a todos os níveis: desde as escolhas do treinador nos jogos à forma como aborda a imprensa, do planeamento do plantel ao investimento feito no clube para a nova época (obviamente que aqui Vítor Pereira não é o maior culpado).

Visto que quero comparar esta equipa do FCP à do ano passado acho coerente começar pelos plantéis...

Na baliza manteve-se o titular Hélton e saíram Beto e Kieszeck, sendo substituídos por Kadú e Bracalli. Até aqui quase nada tenho a criticar, é verdade que perdemos um português no plantel (algo que será recorrente nos outros setores da equipa) que eu, pessoalmente, gosto muito, mas a sua decisão é compreensível, já que quer marcar presença no Euro. Espero que Beto regresse ao Porto e que agarre o seu lugar num futuro próximo.

Na defesa começam as minhas críticas: no ano passado o defesa-direito titular era Sapunaru, que pelos vistos perdeu o lugar para o Fucile, algo que eu não percebo. Sapunaru não era um portento técnico mas era um jogador que equilibrava a equipa, que transmitia segurança, perfeitamente a antítese de Fucile - não digo isto pela expulsão contra o Zenit, mas porque a inclusão de Sapunaru tinha implicações táticas na equipa.

Villas-Boas pedia a Fernando que se incorporasse no ataque, o que dava mais relevância a Sapunaru: quando a equipa perdia a bola mantinha-se uma linha de três para as compensações (com Jesualdo eram Fernando e os dois centrais e com Villas-Boas eram os dois centrais e Sapunaru), jogando sem Sapunaru e muitas vezes sem Fernando VP tem uma atitude a que muitos chamam ofensiva, mas a que eu chamo kamikaze. Exemplo perfeito é o jogo Feirense-Porto, da defesa para a frente, estava a jogar com Souza, Defour, Guarín, Belluschi, Hulk, James e Varela, sobrelotando o meio-campo, sem ponta-de-lança e a fazer a tal linha de 3 com Mangala, Rolando e Sapunaru dada a propensão ofensiva de Alvaro Pereira. Com uma substituição para fazer e Walter no banco VP mete Djalma e tira Sapunaru. Conclusão: o Porto ficou a jogar com 2 defesas, sem avançado e em 5 minutos quase perdeu o jogo.

Mas continuando... Os centrais mantiveram-se quase os mesmos à exceção do quarto central da equipa: deixou de ser Sereno e passou a ser Mangala. Para muitos esta troca é insignificante, mas eu não acho que trocar um central português, experiente, polivalente e que tinha vindo a custo 0 por um francês de 18 anos no qual investimos 6,5 milhões de euros seja assim tão insignificante.

A lateral-esquerda é um caso semelhante: o suplente deixou de ser um sr. 400 mil euros português que deu muito boas indicações (Rafa) e passou a ser um sr. quase 10 milhões brasileiro (Alex Sandro).

O meio-campo do Porto é um luxo! Na minha opinião há dois indiscutíveis: Moutinho e Fernando (VP no início ainda quis inventar mas teve mesmo de o pôr a jogar); o terceiro lugar pode ser preenchido por Belluschi, Guarín ou Defour (único reforço que me convenceu), jogadores que oferecem características diferentes para jogos diferentes (aqui manteve-se tudo igual apesar de termos perdido mais um português com a troca Defour-Micael).

Mas a minha pergunta é a seguinte: será que valeu a pena contratar um grande jogador para a nossa posição mais preenchida e abdicar de um ponta-de-lança que substituísse Falcao? No ataque VP fez uma alteração um pouco à imagem do que havia feito na defesa: aposta em James em detrimento de Varela. Mais uma vez perde um elemento de trabalho para a equipa que nunca deixava o flanco esquerdo desprotegido, isto além de ser português. Eu sou um grande admirador da qualidade de James mas continuaria a apostar em Varela.

Também os lugares de extremos como os de médios estão sobrelotados, agora mais com Iturbe e Djalma; já no centro do ataque, o único lugar da equipa em que perdemos um jogador fulcral não investimos. Acredito que Kléber se torne num excelente avançado mas precisávamos de mais uma alternativa.

Ainda é muito cedo para julgar VP mas a verdade é que com as suas escolhas iniciais o FCP perderia capacidade defensiva nos três corredores (direito sem Sapu, esquerdo sem Varela e central sem Fernando) e aproveito também para criticar a política de comprar jogadores que interessam ao SLB (já sabem porque critico Mangala e Alex Sandro).

O que acham os relvas? Este artigo é mais direcionado aos portistas, mas gostava de ver opiniões construtivas de toda a gente.

Notícias: Porto