FC Porto 4-0 Tondela: a expulsão e o jovem português

Decisão complicada do árbitro perto do intervalo facilitou a goleada portista.

O FC Porto está de novo na liderança, provisória, da I Liga. A goleada por 4-0 frente ao Tondela, na abertura da 22.ª jornada, foi marcada pela importância de um trio de jovens portugueses no marcador e por uma decisão do árbitro muito contestada pelos elementos do Tondela, que condicionou o resto do duelo.

No Dragão a turma da casa começou melhor, a atacar logo a área adversária, com Soares e André Silva (duas vezes na mesma jogada) a estarem perto do golo. Depois foi Otávio, também numa situação clara. O Tondela ia aparecendo no ataque, sobretudo em lances de bola parada, e Pedro Nuno obrigou Casillas a boa defesa. Logo a seguir, golo de André Silva, numa grande penalidade. E nos descontos, a tal decisão complicada: o árbitro Luís Ferreira achou que Osorio cometeu falta sobre Soares, expulsou o defesa do Tondela (segundo amarelo), mas as imagens televisivas deixam muitas dúvidas em relação à alegada obstrução - até foi Soares que acertou na cara de Osorio, com o cotovelo.

Depois dos protestos, a desorientação: o Tondela não se organizou na defesa, mesmo com o intervalo pelo meio, e os portistas partiram para a goleada. Soares e André Silva foram novamente sinónimo de ameaça, logo nos instantes iniciais do segundo tempo. Demasiado espaço para atacar e dois golos em menos de 10 minutos: um belo momento de Rúben Neves e mais um na conta de Soares. A partida foi acalmando até que, mesmo no final, Diogo Jota fechou a goleada.

Notícias: Porto