FC Porto vai cumprir novas regras do "fair-play"


FC Porto vai cumprir novas regras do "fair-play"
Os jogadores do FC Porto vão deixar de colocar a bola fora quando um adversário está no chão queixoso ou solicita assistência médica. A medida foi, esta sexta-feira, confirmada por Pinto da Costa que, em declarações aos jornalistas, acrescentou que as recomendações dadas aos atletas não vão além do que diz a lei. «Se está na lei que o árbitro é que deve interromper o jogo, naturalmente que ninguém pode substituir-se ao árbitro ou qualquer dia os atletas começam a assinalar grandes penalidades», afirmou. Na prática, os dragões decidiram seguir a recomendação da UEFA que se baseia na Lei 5 das Leis de Jogo, a mesma que prevê o seguinte: «O árbitro pára o jogo se, na sua opinião, um jogador estiver lesionado com gravidade, garantindo então a sua remoção do terreno do jogo».
«A UEFA deu instruções para que sejam os árbitros a decidir quando interromper os jogos e nós vamos segui-las», explicou o presidente do FC Porto, à margem da apresentação das obras na Casa do Dragão, o lar para muitos futebolistas das camadas jovens do clube.

Os responsáveis portistas consideram que este acto de "fair-play" em particular tem sido alvo de abusos por parte de algumas equipas, que exploram a boa vontade dos adversários para quebrar o ritmo de jogo.

«Parece-me que os espectáculos têm sido muito prejudicados pelas constantes paragens e nós queremos contribuir para uma melhoria deste aspecto», ressalvou Pinto da Costa.

Notícias: Porto