Um presidente, um treinador e um jogador

O exercício que eu proponho aos relvas é simples. Há uns dias atrás reparei que as figuras que mais admirava e que mais importância eu considerava terem tido na história do meu clube eram por ordem decrescente de importância um presidente, um treinador e um jogador: 3 símbolos da história do FC Porto que eu, como adepto e sócio, tenho como referências máximas ao nível do que representam e do contributo que deram ao clube.

Proponho por isso aos restantes relvas que elejam o vosso presidente, o vosso treinador e o vosso jogador favoritos, tendo em conta precisamente a importância e o desempenho que tiveram no vosso clube, dos quais resultou a vossa admiração.

As minhas escolhas são as seguintes:

+ Presidente: Pinto da Costa - Para mim é a referência máxima do meu clube. É o número 1. É o único presidente de que eu me lembro a liderar o meu clube, mas julgo que se tivesse 70/80 anos continuaria a tê-lo como a maior figura do FC Porto. Um pouco à imagem do que foi Santiago Bernabéu aqui ao lado em Madrid. Foi o presidente que transformou o Porto num dos grandes clubes europeus e que proporcionou tantas e tantas conquistas, tantas e tantas alegrias!

+ Treinador: José Mourinho - Como não podia deixar de ser. Aquelas duas temporadas e meia, marcaram a história do clube e duvido que nos próximos anos algum clube português possa sequer aproximar-se do feito do FC Porto em conquistar a Europa em duas épocas consecutivas. Mourinho foi o expoente máximo do treinador "à Porto" como nós gostamos de chamar e é para mim o grande treinador do clube dos últimos 25 anos. É também um orgulho ter sido o Porto a lançá-lo para a ribalta do futebol europeu e vê-lo brilhar nos clubes por onde passa.

+ Jogador: Madjer - Foi em 1986 que eu muito jovem comecei a ir ao Estádio das Antas com regularidade e desde sempre Madjer foi um dos meus grande ídolos. Aliás, a sua primeira passagem pelo FC Porto coincide precisamente com as minhas origens como adepto portista e por isso não poderia ficar indiferente a este genial jogador. O argelino para além de ter protagonizado momentos absolutamente fantásticos no campeonato nacional foi um dos principais responsáveis pela magia e pelo sonho alcançado em Viena em 1987, na minha opinão o momento mais alto da história do clube.

E vocês caros relvas, que presidente, treinador e jogador elegem?

Notícias: Porto