Bento está perdido e ninguém o orienta

Mais um episódio do descontrolo que vai na Selecção Nacional, a escassos dias dos confrontos com

Começou hoje a ‘operação Bósnia’. E começou mal.

Sílvio e Danny foram dispensados e o seleccionador nacional convocou Eliseu e Vieirinha para os seus lugares.

Ao abandonar o estágio, dispensado pela equipa médica da Selecção, Sílvio confessou que ‘eles já sabiam da minha pubalgia de grau 2’. Quer dizer: mesmo lesionado e incapacitado, Sílvio foi convocado para a ‘operação Bósnia’. Última tentativa para arranjar uma alternativa minimamente credível a João Pereira?

Bosingwa não faz parte das contas de Paulo Bento. Era preferível o seleccionador assumi-lo. Não faz parte em nenhuma circunstância. Nem para titular, nem para suplente. Até Eliseu, na óptica de Bento, é mais capaz do que Bosingwa. Das duas, uma: ou todos os treinadores, em muitos anos de carreira, se enganaram (inclusive Mourinho e Villas-Boas), ou temos aqui um caso de ‘incompatibilidade pessoal’, não profissional.

Qualquer coisa que Bosingwa tenha feito no plano profissional -- se é que fez -- deveria ser explicado pelo seleccionador, até para sua própria defesa. Assim, o caso resume-se a uma situação inacreditável de má vontade.

Bento parece perdido e ninguém o orienta.

A dispensa de Danny vem na sequência de outra situação mal explicada. Está bom para o Zenit. Não está bom para a Selecção.

Leia também o apelo de Rui Santos à repetição do Sporting de Braga-Benfica:

Há muita coisa por explicar no reino da equipa das quinas. O apuramento pode desanuviar alguma coisa, mas é urgente que a FPF entre numa ‘nova ordem’ (com Fernando Gomes ou Carlos Marta) para ser possível colocar um ponto final neste clima de rédea solta e alguma anarquia que se instalou na Alexandre Herculano.

Enquanto isso não for possível, é preciso eliminar a Bósnia! Temos jogadores para fazer um 'onze' de grande nível. A ver vamos se temos jogadores capazes mentalmente para fazer face a todo este rosário de contrariedades. Perfeitamente desnecessárias.

NOTA - Após a publicação deste artigo, Bosingwa concedeu uma entrevista divulgada hoje em A Bola: fica claro que há jogadores que não reconhecem em Paulo Bento nem autoridade nem competências para tomar decisões a este nível. E isso era perfeitamente previsível. Bastava ter olhado para o passado recente... Mais uma vez a FPF foi a reboque de alguns poderes -- os visíveis e os invisíveis. E, nesse aspecto, a responsabilidade nem é de Bento...


(Rui Santos escreve de acordo com a grafia do português pré-acordo ortográfico)