A "mumificação" da arbitragem e o "sistema"

"Por que não se cobra bilhete aos dois árbitros de baliza,

A pergunta do leitor:

Caro Rui Santos:

Segundo o que li, estes novos membros da equipa de arbitragem são árbitros adicionais e têm como missão ajudar o juiz principal a deslindar lances confusos nas áreas. O objectivo é dar mais uma ferramenta de observação ao árbitro central, de forma a que a verdade desportiva seja, cada vez mais, salvaguardada. Nas palavras do Sr. Vítor Pereira "são quatro olhos a ver e não apenas dois".

Depois de alguns meses, a minhapergunta é a seguinte: Por que raio não se cobra também o bilhete de jogo a estes dois cavalheiros? A intervenção destes senhores em todos os jogos que tenho "televisionado" tem sido nula.

Considera, tal como eu, esta nova medida um rotundo fracasso?

Melhores Cumprimentos,

Necrus


A resposta de Rui Santos

Viva!

Absolutamente de acordo consigo: ‘rotundo fracasso’. 

Diria que a arbitragem vive o seu ‘período de mumificação’. 

Os árbitros de baliza são uma teimosia de Michel Platini. Como se tem visto, não servem para nada

Em tese, dever-se-ia ganhar mais rigor nos lances ocorridos dentro da grande área. Não é isso que se tem visto. 

É confrangedor que um ‘homem do futebol’ (ex-jogador, dos melhores de sempre na sua posição) não queira ver o óbvio, o que suscita questões várias sobre o papel da UEFA em relação à verdade desportiva.

Para os árbitros que representam o papel, a UEFA dá-lhes a possibilidade de ganhar mais dinheiro, fazer mais viagens e sair dos seus guetos. Alinham, alegremente, o que não é de espantar.

Parece-me óbvio que a UEFA quer ter os árbitros na mão, para sustentar o sistema que os alimenta. Porquê? Todos percebemos, não é?

Rui Santos